4 (80%) 1 vote

Shark Tank Brasil – Negociando com Tubarões é a versão brasileira do game show estadunidense Shark Tank. O programa veiculado pela Rede Bandeirante no ano passado tem como atração principal  aspirantes a empreendedores em busca de oportunidades para o seu projeto.

Os empresários do Shark tank Brasil (tubarões) são personalidades já consolidadas no mercado e com muita disposição para investir em novos empresários. Para convencer o elenco do Shark tank Brasil, os candidatos precisam apresentar o produto e um plano de negócios. Se forem persuasivos, podem sair de lá com um bom aporte financeiro e um novo sócio para a sua empresa, caso contrário terão seus sonhos barrados pelos empresários.

Em cada episódio são apresentados pelo menos três empreendedores ou empresas que pretendem conseguir um investimento dos tubarões. Cabe a cada um dos participantes do Shark tank Brasil expor sua proposta para tentar convencer o quinteto de empresários a investir.

O elenco do Shark tank Brasil é formado por Caito Maia, fundador da Chilli Beans, Cristiana Arcangeli, empresária serial do segmento de moda, beleza e bem-estar, João Appolinário, fundador da Polishop, Robinson Shiba criador e Presidente da rede China In Box, e Camila Farani, um dos maiores nomes em investimento-anjo do Brasil.

Após a apresentação, os tubarões fazem perguntas, projeções e, se forem convencidos, se unem a seus projetos. As inscrições para o shark tank Brasil podem ser feitas pelo site do canal. Para participar, é preciso residir no Brasil e ter mais de 18 anos. O cadastro pede também para que o empreendedor interessado faça um vídeo de até três minutos resumindo claramente sua ideia ou negócio.

Conheça agora a trajetória de cada um dos empresários do Shark Tank Brasil e inspire-se:

1 – Caito Maia ( fundador da Chilli Beans)

Na década de 1990 Caito Maia mantinha em uma casa antiga na Pompeia, bairro da capital paulista, dois empreendimentos distintos: um estúdio onde ensaiava como músico e um negócio pequeno de venda de óculos importados.

Um dia ele percebeu que deveria dedicar seus esforços a apenas uma ideia. Pressentindo como promissora a área do comércio, Caito Maia deixou de lado a carreira musical para investir na Blue Velvet, que acabou sendo a mola propulsora para sua próxima investida – a Chilli Beans, lançada em 1997, configura hoje como a maior rede sul-americana especializada em óculos escuros.

Carismático e dotado de empatia, Caito procura sempre estar acessível às críticas, dúvidas e sugestões da base de franqueados e da sua equipe de colaboradores da Chilli Beans. Ele está presente em todas as etapas da operação, com exceção do departamento financeiro.

Para um dos empresários do Shark Tank Brasil, um empreendedor não pode distanciar-se do balcão, e foi com esse pensamento que ele colocou em prática o projeto de visitar todos os pontos de vendas da marca – 460 lojas. Tal gesto rendeu a ele uma relação mais próxima e sincera com os funcionários da marca, que passaram a se sentir confortáveis para opinar sobre o produto que não vendia, por exemplo.

Outra estratégia também adotada por ele, que alavancou o seu negócio e hoje é copiada por outras franquias, foi à ideia de instalar quiosques da Chilli Beans nos corredores de shoppings. Sobre a expansão do negócio, Caito conta que é preciso ter um enorme cuidado para não poluir o ponto de venda, mas admite que é importante incrementar o portfólio .

Hoje a Chilli Beans vende além dos óculos escuros e de grau; relógios e  também produtos diferenciados como meia, cueca, lingeries, bolsas, bicicletas – todos licenciados e em outros canais de venda.

Formado em música nos Estados Unidos, onde morou por sete anos, Caito diz que não sabe porque optou pelo comércio, mas que a intuição sobre o caminho escolhido veio tão forte na época, que não houve espaço para sentir nenhuma frustração. Porém, ele confessa que teve dificuldades no início e que teria sido melhor, se fosse graduado em administração de empresas. Entretanto, ele conseguiu driblar o problema, contratando mão de obra especializada para tomar decisões mais acertadas para o seu negócio.

2 – Cristiana Arcangeli (empresária no segmento de moda)

shark tank brasil - Cristiana Arcangeli 1
Uma das primeiras empresárias a atuar na área de estética e da beleza feminina aqui no Brasil, Cris é natural de São Paulo, resolveu largar a odontologia para virar uma empreendedora bem-sucedida.

Uma das primeiras empresárias a atuar na área de estética e da beleza feminina aqui no Brasil, Cris é natural de São Paulo, resolveu largar a odontologia para virar uma empreendedora bem-sucedida. Ela exerceu a profissão de dentista por 5 anos, e nesta época ela já buscava utilizar recursos menos agressivos para o tratamento de seus pacientes.

Em 1986 ela fundou a Phytoervas, uma empresa especializada na produção de materiais sem sal para cabelos e também na produção e aplicação de ativos naturais em seus produtos que não provocasse reações no consumo.

Com o sucesso de vendas dos produtos da empresa e com um olhar visionário, Arcangeli criou dois eventos de moda que revolucionaram o modo de fazer moda e o uso de cosméticos no país: o Phytoervas Fashion e o Phytoervas Fashion Awards, ambos, foram sucesso de público por oito anos.

Ainda baseada nessa empresa, Cris também lançou uma distribuidora de cosméticos internacionais no Brasil, a PH Arcangeli. Marcas como Carolina Herrera e Clinique eram distribuídas e vendidas aos consumidores, especialmente na perfumaria. Ela também criou com exclusividade às marcas internacionais, a Phytá.

Por ter mais contatos com empresas internacionais, a empresária que também faz parte do elenco da Shark tank Brasil adquiriu fluência em cinco idiomas e conseguiu ampliar sua rede de negócios em outros países. Em 1994 ela vendeu a Phytoervas, mas fundou logo depois a Éh Cosméticos – que dado ao seu sucesso, foi comprada pelo grupo Hypermarcas apenas 18 meses depois.

Apesar de ter vendido 2 empresas, Cris Arcangeli nunca teve a intenção de parar. Seu objetivo de continuar entregando aos consumidores benefícios por meio de seus cosméticos e outros produtos orgânicos a levou  inclusive, a criar sua terceira marca – a Beauty’In.

Fundada em 2010 , a Beauty’In logo ganhou destaque no mercado. Além da produção e venda de cosméticos orgânicos, a marca também abriu espaço para um novo segmento de beleza: os “aliméticos”, alimentos saudáveis à base de propriedade cosméticas. O sucesso dessa empresa foi tão grande, que o reconhecimento da marca veio logo depois de seis meses atividade no mercado.

Essa notoriedade também resultou em prêmios para a empresa e para Cris Arcangeli. A marca foi reconhecida como o Produto Alimentício Mais Inovador da América do Sul pela FISA (Food Ingredients South America).

Buscando inovar cada vez mais Cristiana também lançou o beautydrink, a bebida oficial do London Fashion Week, o maior evento de moda em Londres. Com a reformulação das embalagens da bebida com um toque mais moderno e original, a marca foi premiada como EmbalagemMarca em 2010. Junto com a Atualidade Cosmética, recebeu o prêmio de Melhor Produto para Tratamento Corporal também no mesmo ano.

Com essa trajetória é lógico que não tinha como a empresária passar despercebida, sendo em 2004 eleita a Mulher mais influente do país e a Personalidade do Ano, e em 2006 foi empossada na Academia Brasileira de Marketing graças às suas estratégias criativas para o crescimento de suas empresas.

Além disso, Cris também possui outras vertentes. Já escreveu diversos livros, é colunista das revistas Men’s Health e Viva S/A e também locutora no programa Manual na Alpha FM e já foi conselheira do empresário João Dória no reality show O Aprendiz Universitário.

Logo após atuar no reality, Cris foi chamada mais uma vez como apresentadora do programa Extreme Makeover Social, reality voltado a ações de caridade em comunidades carentes e atualmente integra o time de
empresários do Shark tank Brasil.

3 – João Appolinário (criador da Polishop)

João Appolinário um dos empresários do Shark tank Brasil, era sócio de uma rede de concessionárias de automóveis da sua família quando resolveu criar a própria empresa. Apesar de ter o desejo forte de virar empreendedor, João não conseguia ter uma grande ideia que fizesse seu sonho virar a realidade, até que em 1995, uma viagem a Miami, mudou o curso de toda sua história.

João Appolinário voltou dessa viagem com alguns kits do “7 Day Diet” na mala. O produto tinha como o foco auxiliar os consumidores em seu processo de emagrecimento. Todos os consultores de marketing consultados pelo empresário na época concluíram que o produto era bom, mas que não deveria ser vendido na TV e nem por telefone, pois se tratava de um produto caro (R$ 230) e com uma embalagem grande demais para ser transportada pelos correios.

João Appolinário - shark tank brasil 2
João Appolinário um dos empresários do Shark tank Brasil, era sócio de uma rede de concessionárias de automóveis da sua família quando resolveu criar a própria empresa.

Mas o empresário preferiu confiar na sua intuição, ele acreditava que, justamente por ser um produto caro, não poderia ser vendido numa farmácia. Era preciso tempo para explicar seus benefícios. Desembolsou, junto com seu sócio e garoto-propaganda, o ex-piloto Emerson Fittipaldi, US$ 500 mil para começar a venda do 7 Day Diet. O problema da entrega foi fácil de resolver, ele contratou uma transportadora.

Em três anos, vendeu 600 mil kits e faturou R$ 138 milhões. Foi desse modo que ele percebeu que tinha um canal de vendas poderosos em suas mãos e resolveu ampliar o seu negócio, criando assim a Polishop.

O empresário que já investiu R$ 5 milhões em startups, é atualmente destaque no elenco do Shark Tank Brasil. Para ele, os participantes do Shark tank Brasil para obterem algum êxito no programa, precisam ser empreendedores de fato, e não simplesmente donos de um negócio.

4 – Robinson Shiba ( criador do China in box)

Robinson Shiba um dos empresários do Shark tank Brasil possui uma das trajetórias mais inspiradoras no ramo empreendedorismo. Shiba era um estudante de odontologia no Brasil quando viajou com amigos para os Estados Unidos para aprimorar seu inglês. Só que no meio desse intercâmbio que deveria durar 1 ano, Shiba foi assaltado e acabou perdendo todo o seu dinheiro.

A fatalidade o levou a trabalhar em restaurantes como lavador de pratos, entregador de pizzas para conseguir se sustentar no país. Em 1986 Shiba percebeu as vantagens do consumo de comida pronta nos Estados Unidos e seu espírito empreendedor foi acionado, de modo que visualizou a atividade como uma tendência que em breve chegaria ao Brasil e ele poderia participar desta novidade.

Enquanto permanecia nos Estados Unidos, passou a estudar os modelos de fast food com delivery que deram certo, desde a produção até a entrega e como poderia fazer melhorias. Quando Shiba retornou ao Brasil, em 1988, já havia pensado na ideia de adaptar o modelo para entregar comida chinesa em caixinhas, mas passou ainda mais quatro anos estudando e pesquisando maneiras de aprimorar o negócio, até abrir a primeira unidade do China in Box no bairro de Moema, na Zona Sul da capital paulista.

O pequeno negócio em Moema deu tão certo que não tardaram os pedidos para transformar a empresa em rede de franquias. Mais tarde, Shiba tornou-se sócio de um restaurante japonês, o Gendai, que também passou a abrir unidades em vários estados brasileiros.

Desde 2007, ambas as marcas foram incorporadas ao grupo Trendfoods, do qual Shiba é presidente, e que controla também o restaurante Owan, que é especializado em comida oriental (chinesa, japonesa e tailandesa), e a rede de restaurantes dedicados à culinária italiana Brevitá — que aproveita o sistema de delivery em embalagens plásticas reutilizáveis, que podem ser levadas ao freezer e ao forno micro-ondas.

Vinte e quatro anos depois de lavar pratos e entregar pizzas nos Estados Unidos, Shiba tornou-se dono da maior rede de fast food chinês atuante na América Latina, possuindo 160 lojas franqueadas, com uma marca presente em mais de 70 cidades brasileiras, distribuídas em 22 estados.

5 – Camila Farani (investidora – anjo)

Primeira mulher presidente do Gávea Angels, grupo de investimento-anjo, sócia da aceleradora ACE/Rio de Janeiro, e do Deathmatch, plataforma especializada privada de relacionamento para investidores pré-qualificados e co-fundadora do MIA – Mulheres Investidoras Anjo, seu portfólio de startups é invejável, somando 10 investimentos diretos e mais de 20 indiretos em empresas nascentes nos mais variados setores.

O primeiro contato de Camila com o mundo do investimento-anjo e de startups ocorreu quando foi convidada para participar de um fórum do Gávea Angels, um dos primeiros grupos desse tipo de investimento no Brasil. Ela se apaixonou pela oportunidade de ter contato e analisar novos negócios com os quais, nunca tinha se envolvido.

Por conta desta paixão, ela passou a avaliar empresas e estudar muito para entender melhor o funcionamento daquele universo, mesmo o setor não sendo representado por figuras femininas. Desenvolveu sua carreira através de cursos de especialização em empreendedorismo na Babson College e Customer Development em Stanford.

Cinco anos depois de embarcar no Gávea Angels, Camila se tornou a primeira mulher presidente à frente de um grupo de investidores-anjo no país. Sua longa experiência no mercado off-line, a vocação que despertou desde adolescente para empreender e os aprendizados no universo da tecnologia resultaram em um perfil bastante específico e muito procurado no cenário de investimento.

Camila Farani - shark tank brasil 3
Primeira mulher presidente do Gávea Angels, grupo de investimento-anjo, sócia da aceleradora ACE/Rio de Janeiro, e do Deathmatch.

Camila Farani é a única representante do investimento – anjo no elenco do Shark tank Brasil. Ela se define como uma mulher inquieta, que acredita nas pessoas que colocam paixão naquilo que fazem e acha que sua participação no programa abre espaço para mostrar ao país o que está sendo feito no ecossistema de Startups e no ambiente de investimento-anjo.

Empreender também pode ser uma ótima oportunidade para você!

Quem nunca sonhou em ter mais dinheiro caindo na conta, ter mais tempo livre para a família e ser o seu próprio patrão? Pois então, começar a empreender pode ser a alternativa que faltava para você conseguir impulsionar todos os seus objetivos, sejam eles pessoais ou profissionais.

E se tem uma coisa, que podemos apreender de imediato com os empresários do shark Tank Brasil é que, se você quer ter sucesso, precisa se mover e encontrar uma maneira de tirar suas ideias do papel – Sendo assim, uma das formas mais confiáveis e rápidas de entrar para o ramo do empreendedorismo, é “abrindo” um negócio digital.

O mercado online é, sem dúvida, um lugar democrático e bastante acessível de todos, nele você pode se desenvolver como empreendedor, mesmo que não tenha muito dinheiro, bastando apenas um planejamento básico e muito entusiasmo de sua parte.

Se interessou por essa forma de empreender? Clique no link abaixo e participe da nossa Jornada da liberdade, e veja como você pode conquistar sua liberdade financeira e ser um empreendedor tão bem sucedido quanto os participantes do Shark tank Brasil, que já foram aprovados e viram seu negócio prosperar!