Organização financeira num primeiro instante pode ser um hábito difícil de ser colocado em prática, mas quem começa a planejar financeiramente, não quer mais parar! Portanto se você quer ter tranquilidade no futuro, atente para um fato importante – você deve começar a fazer agora o uso racional do seu dinheiro.

Possuir um orçamento equilibrado e recursos mais pomposos requerem organização financeira pessoal e disciplina para não se endividar no meio do caminho e acabar morrendo na praia. Mas se você é como a maioria dos brasileiros, sabe que o quanto é complicado escapar dos juros altos, dos gastos não esperados e das dívidas que podem comprometer bastante o seu orçamento mensal. Quando a situação chega a esse ponto, é hora de manter calma e focar em alternativas que podem solucionar o problema e não no problema em si.

Portanto, se as dívidas derem o ar de sua graça, não se desespere. Você pode quitá-las, sem cair no equívoco de cometer mais dívidas para saudá-las e ainda ter a possibilidade de conquistar a sua independência – Pois, uma organização financeira inteligente não se resume apenas ao ato de manter as finanças sobre o controle, ela é também uma condição para que a você possa alcançar suas metas e formar patrimônio ao longo da vida.

Quer saber como fazer o planejamento financeiro eficaz? Veja abaixo, 7 passos importantes para implementar uma boa organização financeira para manter a saúde do seu bolso e as contas no azul:  

1 – Conheça seus gastos

Para realizar uma organização financeira pessoal é extremamente importante determinar quais são as suas principais despesas e registrá-las numa planilha, por exemplo. A ideia é estabelecer uma rotina diária ou semanal para analisar suas finanças e dessa forma ter a exata noção do motivo e destino dos seus gastos.

Uma vez identificada quais são as despesas mais recorrentes, é hora de ver se é possível reduzir seus valores ou até mesmo cortá-las de sua rotina. Como? É simples! Comece eliminando os gastos supérfluos.

Sabe aqueles gastos que não trazem benefícios permanentes ou pelo menos durável para o seu dia-a-dia, que são cometidos pelo impulso, como comprar uma roupa só porque está na moda, um balde de pipoca no cinema ou o simples hábito de almoçar fora no trabalho – esses pequenos gastos quando acumulados, podem comprometer o seu orçamento no final do mês.

A intenção aqui não é tirar da sua vida todas as despesas relacionadas a lazer, mas incentivar o consumo consciente – Se ao anotar todas as suas despesas, percebeu que anda gastando muito almoçando em restaurantes, que tal pensar em trazer a refeição de casa ou passar a frequentar um estabelecimento mais acessível em alguns dias da semana?

Quer turbinar mais ainda a sua organização financeira pessoal. Veja o vídeo do fundador do movimento freesider, o Fagner Borges, e descubra 3 dicas de economia, que vão muito além do corte de gastos no seu orçamento:

2 – Aplique a fórmula 50-15-35

Você está disposto a fazer uma organização financeira inteligente, mas não sabe quanto gastar em cada categoria de orçamento e nem por onde começar o seu planejamento? Aplicar a fórmula 50-15-35 pode te ajudar a colocar ordem nas suas finanças. O método 50-15-35 consiste em dividir suas despesas em três grandes categorias e separar para cada uma delas, uma parcela da sua renda, sendo:

A – 50% para gastos essenciais: Essas despesas compreendem categorias como transporte, alimentação, moradia, saúde, mercado e educação, ou seja, tudo o que você depende para se manter no dia a dia.

B – 15% para prioridades financeiras: Como fazer o planejamento financeiro? Depois de reservar 50% para os gastos essenciais, é preciso destinar 15% da renda líquida para prioridades financeiras como as dívidas, por exemplo. Quem tem dívidas inclusive, pode ter que comprometer, por um tempo, mais do que 15% da renda líquida para conseguir equilibrar o orçamento no final do mês e assim alcançar uma organização financeira eficiente. Agora se as suas finanças estão em dia, pode aproveitar essa parcela para criar um fundo para possíveis emergências.

C – 35% para despesas relacionadas ao estilo de vida: São gastos relacionados a hobbies, lazer, diversão, cuidados pessoais e afins. Para ter qualidade de vida, reserve 35% da sua renda líquida para essas categorias. Vale destacar que os gastos de estilo de vida devem sempre vir depois das despesas essenciais, além disso, se seu objetivo é economizar um pouco mais para a realização de um sonho ou objetivo como dar entrada em um imóvel, comprar um carro, as categorias ligadas ao estilo de vida são as que têm maior potencial de redução de gastos.

Por que aplicar essa fórmula é um passo importante para realizar sua organização financeira? Porque ao aplicar a regra dos 50-15-35 no seu orçamento pessoal, você consegue definir quais são as categorias principais de despesas que você tem e quanto realmente, gasta em cada uma delas. Além disso, o controle de despesas também é facilitado, ficando mais fácil eliminar os vilões da saúde financeira como, as compras por impulso e os gastos desnecessários.

Estabelecer uma parcela da renda líquida para as prioridades financeiras também é uma vantagem dessa fórmula, pois garante que as dívidas serão quitadas e ainda estimula o hábito de poupar. Como qualquer outro planejamento, o método 50-15-35 precisa ser constantemente revisto, para ficar dentro da meta estabelecida, ou ajustá-lo se for o caso.

3 – Elimine suas dívidas

Um ponto crucial da organização financeira e bastante assustador para algumas pessoas são as dívidas. Mas como fazer o planejamento financeiro quando a conta fecha no “vermelho”? Bem, em primeiro lugar deixe de lado (por enquanto) a ideia de guardar dinheiro, seu objetivo deve ser eliminar suas dívidas. Para tanto, leve em consideração:

– Coloque todas as duas dívidas na ponta do lápis! E priorize saldar primeiro as dívidas com juros mais altos, pois, elas estas são, as que têm maiores chances de comprometer sua organização financeira pessoal.

– Entre em contato com os credores para saber o valor atual para pagá-las à vista. Se a sua situação estiver muito feia, tente renegociar esse valor, calculando juros menores e um prazo mais longo de financiamento para que as parcelas caibam no seu bolso.

– Pague à vista, se tiver dinheiro guardado. Não tenha dó de mexer naquele dinheirinho que você levou certo tempo para poupar se as dívidas estão ameaçando o seu orçamento, pague-as imediatamente para não ficar refém dos juros altos, ou ter o nome sujo na praça e evite fazer novas dívidas. Depois é só voltar a fazer uma nova reserva financeira ou investimento.

– Abra mão do consumo por um tempo. Retire da sua rotina coisas que você não precisa para viver e substitua por outras opções como, por exemplo, ir academia, pode ser temporariamente substituído por exercícios ao ar livre, uma corrida no parque, e entre outras atividades.

– Tire o foco do “vermelho” e assuma a responsabilidade pelas suas dívidas. Ficar pensando demais nos problemas e procurando culpados pelo seu descontrole financeiro não solucionará sua vida. Se você tem muitas dívidas hoje é porque você se colocou nessa situação e cabe somente a você decisões mais inteligentes para sair do “vermelho”. Como explica Fagner Borges no vídeo abaixo:

4 – Guarde uma reserva de segurança

A reserva de segurança é essencial para a organização financeira. Criar o hábito de guardar um determinado valor todo mês, pode fazer muita diferença na sua vida, pois chegará o momento que você estará com as finanças todas em dia e com liberdade para usar esse dinheirinho guardado da maneira que desejar.

Como guardar uma reserva de segurança 2
A reserva de segurança é essencial para a organização financeira.

 

A reserva de segurança ainda poderá te salvar de alguns imprevistos, como a perda ou redução temporária de sua renda mensal ou emergências relacionadas à saúde, sem precisar entrar no cheque especial ou tomar algum empréstimo, por exemplo.

A reserva de segurança deve ser mantida de forma líquida e conservadora. A intenção de criar um fundo como esse não é de obter o maior rendimento, e sim de guardá-lo de forma segura, sem riscos de perdas, e principalmente, com a possibilidade de sacá-la quando a necessidade aparecer.

Manter um fundo para emergências significa tranquilidade financeira para sua vida. Depois de juntar um bom montante para ser usado em situações excepcionais, nada o impede que utilize uma pequena parte desse fundo para investir em alguma aplicação geradora de lucro. Para tanto é necessário está num período financeiro mais confortável, sem dívidas e com uma boa quantia de reserva de segurança.

Por falar em investimento, você já se imaginou o que faria, se conseguisse juntar o seu primeiro milhão? Assista ao vídeo a seguir  e veja como poupar para ficar mais rico:

5 – Cuidado com o cartão de crédito

Considerado um inimigo da organização financeira pessoal, o cartão de crédito conhecido pelos juros e taxas altas pode te deixar no vermelho e se tornar um pesadelo para o seu bolso. Para transformar esse instrumento num aliado para suas finanças sem comprometer o seu orçamento, considere as seguintes dicas:

organização financeira usando o cartão de crédito 2
O cartão de crédito é conhecido pelos juros e taxas altas, logo ele pode te deixar no vermelho e se tornar um pesadelo para o seu bolso.

–  O seu cartão de crédito pode ser um bom instrumento de organização financeira. Concentrar os principais gastos do mês como supermercado e combustível do carro no cartão, pode trazer maior controle para o seu orçamento, pois todos terão uma única data de vencimento.

– Evite gastar todo limite do seu cartão de crédito. Quando chegar próximo ao limite, pise no freio, pois a chance de pagar a fatura integral na data do vencimento torna-se cada vez menor.

– Fique atento a data de vencimento. Esta data deve coincidir com a data do seu pagamento, nunca antes, para não correr o risco de a fatura vencer, antes de ter dinheiro na conta.

–  Escolha o melhor dia para comprar com o cartão, aproveite ao máximo esse prazo. Segundo especialistas em finanças, a melhor data de compra com cartão é, geralmente, de cinco a dez dias antes do vencimento da fatura, assim, o valor da compra realizada só será cobrado na fatura do mês seguinte, e o consumidor pode ganhar até 40 dias para pagar o que comprou.

– Aproveite o parcelamento! Uma das vantagens do cartão de crédito, além de ele ser aceito na maioria dos estabelecimentos comerciais, é o parcelamento da compra. Antes de parcelar, analise bem se essa prestação irá caber no seu bolso, e principalmente, se tem juros.

– Pague a fatura de uma vez. Fuja do valor mínimo de pagamento, pois a fatura pode virar uma bola de neve, pois os juros são altos e você corre o risco de perder o controle da sua organização financeira.

– Aproveite os benefícios que o cartão de crédito pode lhe oferecer, dependendo da bandeira escolhida, é possível ter acesso a muitos benefícios que podem ser descontos em compras, milhas acumuladas para viagens de avião.

– Procure centralizar as compras em uma só operadora de cartão de crédito para ser visto como um cliente com maior potencial de compra, e assim ganhar mais benefícios.

– Guarde os comprovantes, eles são muito úteis na hora de controlar os gastos e fazer a conferência na sua fatura mensal, além de ser importante para que você tenha garantia de não ser cobrado indevidamente no futuro.

– Quando comprar em lojas virtuais, pela internet ou telefone, tenha certeza que a empresa que você está tratando é idônea e peça referência a outros clientes e amigos que podem lhe dar informações sobre o histórico dessa empresa.

– Não empreste o seu cartão e não utilize cartões não solicitados. Segundo o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor é proibido enviar ou entregar ao consumidor sem solicitação prévia qualquer produto ou fornecer qualquer serviço, porém o que geralmente acontece é que as pessoas recebem um cartão em sua residência e consideram uma vantagem. Se você não pediu, não deve utilizar.

– Diminua o limite do seu cartão para evitar a tentação de comprar supérfluos. Sempre que pagar algo com o cartão, anote e inclua na sua planilha de gastos.

6 – Utilize apps de organização financeira

Lance mão de apps de organização financeira para facilitar seu dia a dia e cuide do seu planejamento pessoal. Conheça 5 deles:

Finanças Pessoais: como fazer o planejamento financeiro? Fazer a organização financeira pessoal com este aplicativo é bem prático. Nele você pode contabilizar todos os seus gastos e recebidos no aplicativo, classificando cada um deles em categorias e até criando pagamentos e recebimentos recorrentes. A Apple tem o app similar, o Expensify.

Google Drive: Se você utiliza planilhas do Excel para controlar suas finanças, nada melhor do que utilizar o Google Drive para poder editar suas planilhas de qualquer lugar que você estiver acessando. É possível também salvar arquivos de texto com informações mais detalhadas sobre seus orçamentos, além de planejar suas compras.

Saving Goals: É um ótimo app de organização financeira para pessoas que tem dificuldade em economizar dinheiro. Você pode usar o aplicativo elaborar orçamentos de acordo com as suas metas, definir as datas-alvo e a quantidade que você deseja salvar até o limite. Depois de colocar o objetivo no aplicativo, ele calcula a poupança semanal ou mensal que você precisa fazer para alcançar as metas. Disponível para dispositivos com o sistema operacional iOS (Apple), para dispositivos Android, tem o similar Saving Made Simple Money App.

iWallet: Ajuda na organização financeira. O aplicativo permite que você crie categoria, cronograma de despesas, modos de pagamento, elaboração de orçamentos com alertas, quando você gasta além do planejado. Disponível para dispositivos Android e com iOS .

– Aplicativos dos bancos brasileiros: Se você quer poupar tempo e ter acesso aos serviços de seu banco com facilidade, você precisa ter o aplicativo bancário do seu banco em sua lista de aplicativos financeiros para ter acesso as suas informações bancárias de qualquer lugar.

7 – Avalie aumentar a sua renda

Você reduziu gastos superficiais, está usando o cartão de crédito de forma inteligente, passou a controlar tudo que gasta e ainda assim não conseguiu fechar as contas no final do mês? Está na hora de pensar na possibilidade de ganhar uma renda extra, para agregar a sua organização financeira.

E uma boa alternativa para quem quer aumentar a renda sem largar o emprego é investir no mercado online – Baixo custo de investimento, retorno financeiro rápido, comodidade, flexibilidade de tempo e, acima de tudo, maior qualidade de vida são só alguns dos vários motivos que atraem cada vez mais pessoas para o empreendedorismo digital.

Conheça agora algumas opções de fazer dinheiro na internet de forma lucrativa e comprovada:

Hoje em dia há diversas formas de trabalhar na internet, que pode ser desde o mercado de afiliados até montar o seu próprio negócio online. Seja qual for à opção é de suma importância conciliar tempo e produção para obter sucesso e alcançar a sua tranquilidade financeira.

Portanto, venha descobrir como ter um dia produtivo de trabalho, de apenas 3 horas. Participe da nossa aula online “ O dia de 3 horas” e dê um up grade na sua organização financeira pessoal, sem  comprometer toda sua rotina:

Trabalhe apenas 3h por dia
Trabalhe apenas 3h por dia