Causas do estresse no trabalho para o homem brasileiro
Vote neste post

O estresse se popularizou nos últimos tempos e atualmente configura uma das maiores razões para a depressão causada pelo trabalho. Uma pesquisa realizada pela Associação Internacional do Controle ao estresse, aponta que o brasileiro é o segundo povo mais estressado do mundo, perdendo somente para os japoneses – 70% dos entrevistados culpam o trabalho pelo problema.

Todo dia milhares de pessoas enfrentam um cotidiano profissional e pessoal extremamente maçante. É preciso lidar com as cobranças do trabalho, da família, com as contas no final do mês e outras preocupações que podem gerar desde uma noite mal dormida a um desequilíbrio emocional como o estresse e a depressão no trabalho.

Mas como podemos ser produtivos, ter uma qualidade de vida melhor e ainda nos livrarmos desse mal? Saiba como, entendendo o conceito de estresse e suas principais causas no ambiente de trabalho do homem brasileiro.

Só que antes precisamos saber: você quer saber como se sentir mais produtivo e menos estressado, trabalhando de forma inteligente? Então, baixe gratuitamente o Ebook “5 atitudes para trabalhar menos e ganhar mais”, clicando na imagem abaixo:

ebook ganhar mais trabalhando menos

 

O que é o Estresse? Como ele funciona?

O estresse é uma resposta física normal para eventos que fazem o indivíduo se sentir ameaçado ou sob pressão: ao sentir um perigo real ou imaginado, as defesas do organismo disparam em um processo rápido, automático, conhecido como a reação ao estresse (lutar ou fugir) – Neste momento o sistema nervoso reage com a liberação de uma inundação de hormônios do estresse, como a adrenalina e cortisol – esses hormônios despertam então o corpo para ações de emergências.

Segundo o psicólogo André Lemos, o estresse é classificado em:

– O estresse positivo: É a fase inicial de alerta, em que o organismo produz adrenalina e injeta ânimo e energia que faz o trabalhador ser mais produtivo e inclusive criativo. Nesta fase da produtividade, a pessoa pode inclusive deixar os período de descanso em segundo plano, sem grandes consequências.

– O estresse negativo: É o estresse em excesso e ocorre quando a pessoa ultrapassa seus limites, esgotando sua capacidade de adaptação. O organismo perde nutrientes e a energia mental é reduzida. A produtividade e a capacidade no trabalho são comprometidas e o trabalhador pode vir adoecer.

Nesta reação automática ao estresse o sistema imunológico é ativado pelo aumento da frequência cardíaca e da pressão sanguínea. A princípio tal manifestação é a forma que o nosso corpo tem de nos proteger. Porém esse mecanismo passa a agir negativamente quando se prolonga.

O estresse ideal é quando aprende gerenciar a fase de alerta de modo eficiente, alternando entre estar em alerta e sair de alerta- O organismo precisa entrar em homeostase após uma permanência em alerta para que se recupere. Após a recuperação não há dano em entrar de novo em alerta. Por outro lado, se não há um período de recuperação, então doenças começam a ocorrer porque o estresse fica excessivo.

Diferencie estresse de cansaço

Quem nunca disse ou até mesmo, ouviu alguém dizer: “Eu estou muito estressado hoje”. Isso acontece porque muita gente tende a confundir estresse com cansaço.

Um trabalhador que esteja extremamente cansado tende a se recuperar com uma boa noite de sono, um final de semana de lazer. “Dependendo do nível de cansaço, uma soneca rápida durante o horário de almoço, resolve”, diz o psicólogo. Já o estresse é um desgaste físico e mental tão grande, que uma boa noite é insuficiente para recuperar a energia. Na realidade a maioria dos trabalhadores brasileiros estressados sequer consegue dormir.

As principais causas do estresse no trabalho

O estresse não escolhe profissão e pode prejudicar trabalhadores de qualquer área, podendo ocasionar até depressão no trabalho. Atualmente estima-se que 3,5% do PIB no país é perdido com custos,  relacionados ao estresse – Conheça suas principais causas:

como eliminar o estresse no trabalho
O estresse é um mal que acomete qualquer tipo de trabalhador, independente de qualquer coisa.

1) Exageros perigosos: Ultrapassar os limites do corpo e da mente frequentemente – Umas das rotinas mais comuns no trabalho, é se dedicar em excesso a uma atividade, seja porque a demanda está alta ou porque está tão focado no trabalho sem descanso, sem se alimentar.

As consequências desse exagero não são sentidas no ato, mais em longo prazo – distanciamento da família, amigos, sem vida social, diversão, tempo para si mesmo, perda de oportunidades e etc. Esta causa abrange fatores desencadeadores de estresse como:

Falta de curtos períodos de descanso durante o horário de trabalho. É Recomendado fazer intervalos de 5 a 10 minutos a cada 60 e 90 minutos para relaxar;
– Passar noites em claro trabalhando em frente ao computador;
– Não se alimentar corretamente. Está sempre fazendo lanches rápidos e poucos saudáveis;
– Assumir trabalho em excesso;
– Trazer para si muitas responsabilidades de terceiros;
– Não saber dizer não para compromissos desnecessários
– Não priorizar as tarefas mais importantes ou deixá-las para última hora.

Dica: Respeitar os avisos que o corpo e a mente nos dão, quando estamos cansados, nos desligarmos um pouco – escutando uma música, tirando um cochilo, fazendo pausas curtas entre uma tarefa e outra e etc.

2) Falta de planejamento no trabalho: Boa parte dos trabalhadores tendem a agir no automático, sem planejar suas tarefas do dia, este mau hábito faz com que o trabalhador se sobrecarregue  executando tudo que vier pela frente.

Dica: Antes de começar a trabalhar, logo pela manhã, releia o planejamento elaborado no dia anterior. Uma lista de todas as atividades a serem executadas, agrupe por categoria e importância. Exemplo: Responder e-mails, fazer uma pesquisa, redigir um texto… Não deixe as tarefas se acumularem, se não é possível executar todas tarefas, delegue se puder.

3) Desencontro informações: Na maioria das vezes isso ocorre porque a empresa não consegue articular seus funcionários da maneira ideal. Imagine cada membro de uma equipe recebendo informações diferentes sobre como proceder em uma mesma tarefa? Esse formato pode, confundir a equipe e gerar estresse. Um funcionário pode achar que o outro foi privilegiado com alguma informação a mais, pode haver o chamado telefone-sem-fio e informação matriz chegar totalmente deturpada para os receptores, entre outras coisas.

Dica: Nesse caso use a tecnologia a favor, centralize os dados num sistema, onde seja possível trocar conhecimento e evitar repetições desnecessárias de tarefas.

4) Excesso de trabalho: Muitos trabalhadores podem se submeter a metas impossíveis de serem cumpridas. No desespero para conseguir entregar tudo, no prazo certo acabam se sobrecarregando, e isto não é saudável.

Dica: Ninguém sabe melhor dos seus limites do que você mesmo. Portanto saiba comunicar a seus colegas e superiores tudo o que está fazendo e por que aquilo é o mais importante no momento. É impossível fazer um milhão de coisas ao mesmo tempo, mas é possível fazer o necessário.

5) Mudança repentina do deadline: Imagine que você tem um relatório para entregar daqui a dois dias, mas um imprevisto acontece e seu chefe exige o relatório para no máximo o dia seguinte?  Infelizmente esse fator estressante é comum no mundo corporativo – os deadlines mudam o tempo todo.

como fazer tudo no prazo
Nunca faça nenhuma atividade com base no prazo. Logo, sempre reduza os prazos pela metade, pois assim você sempre estará pronto para imprevistos.

Dica: Ao invés de se estressar, tente antecipar mudanças e seja cada dia mais ágil para corresponder a elas.

6) Chefe perdido: Em muitos ambientes de trabalho pode ocorrer a insatisfação do subordinado para com o seu gestor. A falta de liderança de um gestor pode deixar seus subordinados desnorteados.

Dica:
Cada situação é pontual, muita vezes o superior está tão estressado e sobrecarregado quanto a seu subordinado. Em todo caso seja transparente, diga que “não está compreendendo” e seja respeitoso para não ser mal interpretado.

7) Inadequação do salário:  Neste caso o trabalhador sente que a atividade que exerce não corresponde ao salário que recebe. Além de sentir que não está tendo o seu trabalho financeiramente bem recompensado, o salário pode não ser suficiente para suprir gastos básicos e com o país em crise, muitos trabalhadores tendem a ficar nesse tipo trabalho por receio de ficarem desempregados e o desemprego por si só, também é um fator de estresse e depressão causada pelo trabalho..

Dica: O trabalhador pode tentar um diálogo com a empresa, e pedir um aumento salarial ou redução da demanda de trabalho – enfatizando a importância da tarefa que executa, por exemplo. Ou ainda cogitar procurar outro emprego, função – que esteja de acordo com suas pretensões financeiras.

8) Ambiente desagradável: Muitas vezes passamos mais tempo no trabalho que na nossa própria casa. Trabalhar de maneira confortável é essencial para nossa produtividade. Um ambiente barulhento e sujo desencadeia estresse, porque dificilmente o trabalhador vai conseguir se concentrar na tarefa e manter o foco.

Dica: Diálogo. Traga o assunto que o incomoda e o atrapalha para pauta. “Sugira” ao colega, ao gestor da empresa melhorias e claro, faça também a sua parte para manter o ambiente de trabalho agradável.

9) Longas Jornadas: É uma das razões mais clássicas de estresse e depressão causada pelo trabalho do homem brasileiro. A jornada de trabalho semanal em regra, é de até 44 horas semanais. Mas a maioria dos trabalhadores excede essa jornada. Mesmo recebendo hora extra, o descanso perdido não é solucionado e ter longas jornadas de trabalho pode gerar vários danos à saúde.

Dica: Tire algum período de descanso, não venda férias e considere até mesmo mudar de função ou trabalho. Veja no seu ambiente trabalho,  o quanto seu horário pode ser flexível – atente para falta de produtividade em decorrência de algum provável esgotamento físico ou mental.

10) Falta de autonomia no trabalho: Não ter voz . Ausência de autonomia até mesmo para tomar decisões simples acerca de suas próprias funções, torna o indivíduo desacreditado, desmotivado, estressado.

Dica: Para a empresa: dê voz aos seus colaboradores. Muitos problemas podem ser solucionados escutando o que o funcionário tem a dizer sobre o trabalho e o próprio ambiente de trabalho. O trabalhador deve lembrar que quanto maior a autonomia, maiores serão as responsabilidades.

11) Incerteza sobre o seu papel no projeto: Imagine estar num trabalho incrível, mas não saber a sua importância para a efetividade do mesmo? Essas incertezas podem levar o trabalhador ao desgaste. Já pensou, o quão frustrante é ficar atrás de justificativas para se comprometer, se envolver num projeto que no final das contas, pode nem “ser a sua cara”?

como me enquadrar dentro de um projeto
Saber o seu papel dentro de um projeto é fundamental

Dica: Estude o projeto e veja se com ele se identifica. Caso contrário, examine se vale a pena se entregar a um projeto (mesmo que bem pago) se ele não te apaixona? Toda empresa sabe disso, mas não custa repetir, todo projeto atende um perfil específico de profissional, certifique que a equipe escolhida seja a certa, mesmo que seja um desafio.

12) Fofocas e conflitos com colegas e superiores:  Aqui o estresse pode ser resultado tanto de um conflito por motivos profissionais no trabalho ou por motivos pessoais no trabalho. Ambos os casos podem gerar estresse para uma equipe inteira – Um colega pode tomar partido do outro colega, pode haver o famoso “disse-que- me-disse”, enfim é algo extremamente desconfortável para todos envolvidos.

Dica: Se o conflito instalado não for sanado. Tente mudar de equipe, de horário de trabalho e principalmente mantenha a calma e o respeito no ambiente de trabalho. Releve o que for possível. Vale a pena se estressar com isso?

13) Busca de perfeição nas tarefas: Você já se deparou encarou uma tarefa que acabou de fazer e se auto criticou? Bem isso é humano é verdade, mas tentar alcançar um patamar inatingível de perfeição deixaria qualquer profissional estressado. Muitos trabalhadores passam por isso. O perfeccionismo pode ser uma característica natural ou surgir pontualmente.  O profissional pode estar de olho em alguma promoção e por isso quer mostrar serviço.

Dica: É autoconhecimento. Se você sabe que já entregou o seu melhor, parta para a próxima tarefa, não desperdice mais energia em algo que já está pronto e bem feito.

14) transferência local de trabalho ou cidade: O que para muitos pode ser uma oportunidade de mudar de ares,  para outros gera sofrimento.  Sair da zona de conforto e trocar o conhecido por algo novo pode assustar, sobretudo quando isso afeta também o campo pessoal de sua  vida. Como ter que movimentar toda a família e se despedir de amigos para se mudar de cidade, por exemplo.

Dica: Faço do limão uma limonada. O novo que um hora assusta, também nos impulsionam ao agregar mais experiências no currículo e na vida.

15) Chefe e colegas de trabalho estressados: Estresse pega? Podemos dizer que sim. Você mal acaba de  chegar ao trabalho e já é tomado pelo clima de estresse alheio. Cobranças do chefe, reclamações dos colegas tudo isso pode leva-lo a desencadear o mesmo comportamento.

Dica: Não se afete. Parece difícil , mas ao manter seus níveis de endorfina em alta e o bom humor te afasta do estresse. Se possível, num momento, oportuno converse com o indivíduo estressado e ofereça apoio.

Conheça os principais sintomas de estresse no trabalho

Sintomas mentais de estresse:

– Tensão
-Irritabilidade
-Incapacidade de se concentrar
– Sentindo demasiadamente cansado
– Insônia

Sintomas físicos de estresse:

-Boca seca
– Coração acelerado
-Dificuldade em respirar
-Dor de estômago
-Dor de cabeça
– Micção frequente
– Sudorese palmas
– Músculos apertados que podem causar dor e tremor

E como reagimos ao estresse?

O estresse afeta homens e mulheres de forma diferente, e essa divergência não é só hormonal.  Enquanto as mulheres tendem a buscar apoio social, os homens são mais propensos a se retirar, e se isolar. O cérebro humano trabalha em sincronia, sugerindo conexões estruturais e funcionais – e esta conexão funcional que é importante para entendermos as diferenças entre os sexos, em relação ao estresse.

depressão causada pelo trabalho
O estresse ataca a qualquer tipo de pessoa, independente do sexo. Mas a reação em relação a esse mal é diferente para os sexos.

As áreas sociais e emocionais do cérebro da mulher quando estressada, entram em alerta refletindo uma tendência a aproximação, a procura de apoio, empatia. Estas mesmas áreas no cérebro dos homens parecem se separar fazendo com que eles possuam menos conectividade funcional.

Um quadro de estresse pode ainda causar um pior mal estar para as mulheres, pois seu coração tem até quatro vezes mais probabilidade de reduzir o fluxo sanguíneo até o coração durante  uma situação estressante.

Apesar disso, os estudiosos não sabem se estas diferenças são inatas do cérebro ou um produto da socialização, mas são categóricos a afirmar que as diferenças existem, e que os homens tornam-se realmente menos engajados e empáticos quando estressados.

E as discrepâncias não param por aí, um estudo realizado pela Isma-Br (International Stress Management Association) – associação que estuda o estresse e as formas de preveni-lo, em um levantamento feito em quatro empresas de abrangência nacional (486 funcionários),  constatou que os fatores que estressam homens e mulheres no trabalho também são diferentes:

Para 91% dos homens, a incerteza de continuar ou não na empresa e suas chances de crescer profissionalmente são o principal fator estressor.  Enquanto para elas, 94,3%, é a sobrecarga de trabalho.

As mulheres são mais afetadas pela quantidade excessiva de tarefas (no trabalho e em casa) e ainda acreditam que precisam produzir excessivamente para provar sua competência – Enquanto para os homens esta não é uma preocupação frequente.

Apesar de sentirem de forma diferente, tanto homens quanto mulheres não conseguem gerenciar seu tempo de maneira positiva, e são diariamente engolidos por uma rotina massacrante de estresse e pela depressão no trabalho.

Como saber se estou estressado e evitar a depressão causada pelo trabalho

Antes de falarmos sobre tratamento, o psicólogo André Lemos aconselha ao indivíduo fazer as seguintes perguntas e se a resposta for sim, considere mudar os seus hábitos:

como saber se eu sofro de estresse
Hora de se avaliar e saber se você está sendo acometido por este mal…
  1. Tem evitado contato com os colegas de trabalho?
  2. Tem dificuldade de se desligar o trabalho após o expediente?
  3. Acha difícil dividir responsabilidades por acreditar que está cercado de incompetentes?
  4. Sente ansiedade e inquietação na maior parte do tempo que passa na empresa?
  5. Falhas constantes de memória estão te prejudicando?
  6. Não consegue desligar o celular?
  7. Sente dor de cabeça quase todos os dias?
  8. O barulho do ambiente do trabalho o irrita?
  9. Tem dificuldade para dormir?
  10.  Quando foi a última vez que tirou férias?  Tem mais de 2 anos?
  11.  Sua pressão arterial tem sofrido alterações?
  12.  O sono não é revigorante, tem sensação de cansaço logo ao despertar?
  13.  Fica irritado, angustiado por ir trabalhar?
  14.  Fica difícil decidir por onde começar algumas atividades?
  15.  Sente desconforto ou remorso quando não está fazendo nada?
  16.  Fica inseguro na hora de tomar decisões?
  17.  Aproveita o horário de almoço para resolver os assuntos do trabalho?
  18.  Tem vontade de explodir com seu chefe ou colegas de trabalho?
  19.  Sonha constantemente com assuntos do trabalho?

Nem todas as pessoas apresentam a mesma capacidade de adaptação às circunstâncias estressantes.  Fatores genéticos, traços da personalidade, as condições físicas e mentais de cada um influenciam na forma como cada um vai lidar com o problema, lembra o psicólogo.

Tratamento – Combata o estresse no trabalho

O tratamento do estresse é estabelecido em função dos sintomas e desconforto que o trabalhador apresenta.  Existem várias formas de tratar o estresse e, dependendo do caso, ele pode ser tratado a nível grupal e empresarial – um bom exemplo disso são as ginásticas laborais e os treinamentos de assertividade e gestão de tempo que pode refletir resultados, inclusive individuais.

como combater o estresse no trabalho
Possíveis soluções para o combate contra o estresse.

Para combater o estresse e a ansiedade é importante diminuir as pressões externas e encontrar alternativas para realizar o trabalho de forma mais tranquila possível. Também é indicado encontrar o equilíbrio emocional, sendo capaz de administrar melhor o tempo entre trabalho, família e dedicação pessoal.  Todo enfoque para tratar o estresse é voltado para o lado cognitivo comportamental. Aprenda como controlar seu nível de estresse com as seguintes orientações:

– Pratique exercícios: Pelo menos 30 minutos diariamente, traz benefícios físicos e emocionais. Um tempo para não pensar nos problemas, diminui a quantidade de cortisol e ainda libera endorfina na corrente sanguínea que promove o bem-estar.

– Coma alimentos certos: banana, nozes e amendoim são alguns exemplos de alimentos que promovem o bem-estar físico e por isso deve-se investir no seu consumo diariamente, aumentando a quantidade, sempre que estiver cansado ou estressado. Alimentos ricos em ômega 3 como salmão e chia também são excelentes opções porque melhoram o funcionamento do sistema nervoso, diminuindo o estresse e o esgotamento mental.

– Descanse: reserve um tempo para descansar todas as noites e aproveite os finais de semana para relaxar um pouco.

– Massagens: Combatem a tensão muscular trazendo alívio para a dor nas costas e a sensação de peso na cabeça e pescoço. Atividades como meditação e ioga também são bem vindas.

-Invista em calmantes naturais:  chás de camomila, maracujá quando ingeridos regularmente colaboram para um sono reparador.

– Terapia: Um psicoterapeuta poderá ajudá-lo com técnicas de relaxamento e encontrar novamente o equilíbrio emocional, quando tens dificuldade de fazer isso sozinho.

– Tempo para o lazer: Encontre algum momento útil para se dedicar ao lazer e isso pode ser desde praticar um hobby, esporte a ter momentos com família e amigos.

– Administre melhor o tempo: monte sua estratégia, distribua suas tarefas de modo que tempo seja suficiente para executá-las sem acumular e ficar sem tempo para descanso.

Infelizmente tais atitudes comportamentais podem não ser suficientes para alguns trabalhadores.  Para estes profissionais, Recomenda-se ir a um psicólogo para verificar a necessidade de tratar uma depressão causada pelo trabalho, e a depender do estágio depressivo, um clínico geral para que eles investiguem a necessidade de entrar com antidepressivos, por exemplo.

O estresse não é o mal do século, o mal do século é não saber administrá-lo. Portanto se organize de forma que o trabalho continue a  constituir uma base sólida para sua vida, mas não deixe que ele torne a sua própria vida.

Descubra como fazer o seu dia inteiro de trabalho render mais em apenas 3 horas e ter o resto do dia para aproveitar a família e a vida, clicando na imagem abaixo:

Trabalhe apenas 3h por dia