Veja onde investir dinheiro para render mais em 2018
Vote neste post

Procurando onde investir dinheiro para render mais? Então acompanhe esse artigo até o final. Ele contém dicas dos melhores investimentos para 2018, com o foco naquelas pessoas que estão ingressando agora nessa modalidade, visando a conquista da sua liberdade financeira.

E mais ao final, temos um convite bem interessante…

Afinal, onde investir dinheiro para render mais?

As previsões financeiras para 2018 são diferentes daquelas feitas para 2017. Neste ano, a economia vem com força e com todos os sinais de recuperação. Conhecer as opções de onde investir dinheiro para render mais é o que vai tornar real a tão sonhada independência financeira.

onde investir dinheiro para render mais
As previsões financeiras para 2018 são diferentes daquelas feitas para 2017. Logo, você precisa se aproveitar disto.

O ano conta com um fator decisivo: as eleições. Este pode ser o único motivo pelo qual o cenário fique um pouco instável, tanto para os investimentos alternativos quanto para os tradicionais. De qualquer maneira, a ideia de que o melhor mesmo é manter o dinheiro na poupança ou embaixo do colchão precisa ser desconstruída.

Assim como seria precipitado dizer que somente uma opção ou duas são boas. As opções apresentadas aqui no artigo devem servir como base para a busca de outras maneiras de fazer investimentos alternativos e àqueles que se adequam melhor à realidade de cada pessoa. A única palavra de ordem aqui é “investimentos”. É isso que vai possibilitar a liberdade financeira.

O mais importante é que cada pessoa saiba que para cada tipo de perfil, existe um tipo de investimento ideal. O que coloca todos sob o mesmo teto é o fato de todos estarem buscando sua independência financeira. E também o fato de todos estarem buscando alternativas de investir dinheiro para render mais.

Vamos conhecer algumas dessas opções.

1 – CDB

Os Certificados de Depósitos Bancários são opções seguras e fáceis de trabalhar. Essa modalidade já mostra exatamente porque investimentos valem muito mais do que deixar o dinheiro rendendo na poupança. Outras opções sempre devem ser avaliadas como investimentos alternativos para fugir da mesmice.

A orientação é a de que sempre opte por títulos de bancos que ofereçam um percentual acima de 100%. Nesse momento, vale uma pesquisa para conseguir encontrar pois nas principais instituições financeiras, existe um prazo de carência de 90 dias. Então para todos aqueles que buscam uma liberdade financeira imediata, o ideal é apostar nos bancos médios.   

E como conseguir esse retorno mais rápido? Encontrando CDBs com uma carência inferior aos 90 dias ou até mesmo aqueles que contam com liquidez diária. Sem nunca esquecer de fazer a tributação do Imposto de Renda, claro. Os índices vão variar, sempre se baseando no período do resgate. Acima de 720 dias, o rendimento é de 6%.

Para as retiradas feitas em até seis meses, o Imposto de Renda disponibiliza um desconto de 22%. Resgates feitos entre 181 e 360 dias têm uma taxação de 20%, enquanto os resgates feitos entre 381 e 720 dias têm uma queda de 17,5%. Como foi dito acima, tudo vai depender de cada pessoa que opta fazer investimentos buscando sua independência financeira.

2 – CDI

Os fundos de renda atrelados aos certificados de depósitos interbancários e a taxa Selic. E à taxa de juros básica de juros cobradas no mercado nacional. Esses são os chamados “índices pós-fixados”.

Para uma melhor compreensão, CDIs são as transações entre bancos. Normalmente os investidores que utilizam essa opção já contam com uma certa familiaridade com o mercado. É uma modalidade criada nos anos 80 que visa atender à demanda de fluxo financeiro exigido pelos bancos. É semelhante ao CDB, com a diferença que sua negociação é restrita.

Isto é, são transações fechadas, exclusivas do meio eletrônico e são operações que contam com um prazo de um dia apenas, mas esse tempo pode variar. Para resumir, são certificados que permitem aos bancos fazer empréstimos não só dos investidores, mas também de outras instituições financeiras. A taxa de juros, como nos CDBs, é variável.

O CDI é usado como parâmetro. O imposto de renda cobrado sobre os rendimentos destes investimentos de renda fixa e do Tesouro Direto incide na fonte, na data de vencimento ou na data do resgate da aplicação. A alíquota é regressiva, levando em consideração o prazo de permanência dos recursos. Quanto mais tempo os recursos permanecerem aplicados, menor será o percentual:

  • Até 180 dias 22,5%.
  • De 181 a 360 dias 20,0%.
  • De 361 a 720 das 17,5%.
  • Acima de 720 dias 15,0%.

Quando uma pessoa opta por investir dinheiro para render mais, sobretudo nos dias atuais, devem levar em consideração essa opção.

3 – Investimentos alternativos

Os investimentos alternativos consistem em estratégias de investimentos que trabalham com ativos tradicionais utilizando métodos mais complexos, como a venda a descoberto e alavancamento.

investimentos alternativos para 2018 - 2
Os investimentos alternativos consistem em estratégias de investimentos que trabalham com ativos tradicionais utilizando métodos mais complexos.

Também são uma boa opção para as pessoas que buscam a liberdade financeira. E o qual é exatamente a diferença desse tipo de investimento dos tradicionais? Eles são investimentos que visam explorar as ineficiências dos mercados, através de ativos e estratégias de investimentos não tradicionais. Para facilitar a compreensão, alguns exemplos são:

  • Possível falta de liquidez
  • Ativos em mercados privados e públicos
  • Baixa relação com o mercado
  • Acionistas ativos ou até mesmo os únicos proprietários
  • Rentabilidade explicada por um alfa com uma maior dispersão entre os gestores
  • Foco nos mercados ineficientes
  • Hedge Funds
  • Private Equity
  • Venture Capital/Start-ups
  • Pedras Preciosas
  • Peer-to-peer lending
  • Arte
  • Vinho
  • Carros

Fugir das classes comuns caracteriza particularidade própria e normalmente é uma escolha de instituições e pessoas que contam com um grande patrimônio. Para todos que querem buscar independência financeira e já possuem um certo conhecimento sobre o mercado.

4 – Bolsa de Valores

Antes de qualquer informação, é importante ter em mente que investir dinheiro para render mais na Bolsa de Valores não garante nenhum retorno significativo, assim como não garante que não é uma boa opção. Esse é um mercado de risco e assim como pode render acima dos 60%, pode cair nessa mesma proporção.

No entanto se a ideia é investir dinheiro para render mais, essa não poderia ser uma opção descartada. De qualquer forma, os analistas do mercado financeiro são unânimes quando dizem que uma nova onda de valorização da Bolsa de Valores brasileira está em formação. Todas as reformas políticas são vistas com bons olhos pelo mercado financeiro e o principal índice de ações da bolsa veio atingindo novos índices, superando o patamar de 77 mil pontos. O Ibovespa acumulou ganho de mais de 23% no ano, após uma valorização de 39% em 2016.

E a tendência é que a Bovespa continue em alta. A bolsa transita por caminhos otimistas desde o início de 2016. A recuperação do Ibovespa aconteceu após 3 anos seguidos de perdas, entre 2013 e 2015.

Se você não tem muita familiaridade com o meio, mas está buscando informações para investir corretamente na Bolsa, a boa notícia é que a internet está cheia de informações, vídeos, palestras e livros sobre o assunto. A má notícia é que a quantidade de material disponível é muito grande e você vai levar muito tempo estudando sobre o assunto.

O melhor conselho para que consiga atingir a liberdade financeira é que não pare de estudar. E mesmo com muito estudo, ainda vai cometer alguns erros. Mas se fizer a lição de casa corretamente, o saldo final será positivo.

Para quem está começando, o ideal é participar de um grupo de investidores ativos nas redes sociais, como o Facebook. Lá existe a possibilidade de lançar as principais dúvidas e interagir com outros colegas investidores – iniciantes e experientes.

É possível investir dinheiro para render mais no mercado digital?

Já falamos sobre investimentos alternativos e os tradicionais. Agora vamos falar sobre uma opção que tem conquistado um número de adeptos cada vez maior: O Mercado Digital. Poderia até mesmo ser considerado como certos tipos de investimentos alternativos, mas não é exatamente essa a nomenclatura utilizada.

A liberdade financeira pode não estar tão longe quanto se pensa. Todos os meios que procuramos sobre investimentos são carregados de termos técnicos e dificultam um maior domínio sobre o assunto. Óbvio que com estudo, tudo é possível, mas o mercado digital conta com algumas vantagens quanto a isso.

investimentos alternativos para o mercado digital 3investimentos alternativos para o mercado digital 3
Essa é, sem dúvidas, uma opção que tem conquistado um número de adeptos cada vez maior.

O Brasil conta com mais de 100 milhões de internautas, e isso mostra exatamente a informação que é possível encontrar em diversos artigos na internet: O mercado digital não foi abalado pela crise financeira que assolou o país nos últimos dois anos. Até pelo contrário, os números são crescentes a cada ano.

A internet, no começo de sua popularização no país, era utilizada para o entretenimento, basicamente. Com o passar dos anos – cerca de vinte anos desde então – a internet começou a mostrar todo seu potencial publicitário. As empresas começaram a perceber a capacidade de alcançar uma diversidade maior de público e não poderia chegar a outro resultado.

As pessoas buscam informações na internet sobre qualquer marca que desejam consumir e qual a opinião das pessoas em relação à empresa. Dificilmente (para não dizer impossível) não se encontra determinado assunto para conseguir alguns dados e opiniões.

A popularização da internet se deve muito aos custos que são reduzidos com o tempo e ao uso dos smartphones. As previsões falavam sobre um número significativo para o marketing digital: Até o final de 2017, seriam um aparelho para cada pessoa do país. E como não podia ser diferente, os smartphones se tornaram a principal fonte de acesso à internet do brasileiro.

Dessa forma, qualquer pessoa que queira investir em algo que lhe permita a independência financeira, a internet é o caminho.

Dá uma olhada nesse vídeo do Fagner Borges que fala sobre o ingresso no mercado digital.

1 – Infoprodutos

Os infoprodutos dão verdadeiro significado à palavra “praticidade”. Atualmente, qualquer que seja a vontade de aprendizado, encontra na internet um e-book ou um tutorial ensinando todo o passo-a-passo de tudo.

E muitas pessoas têm encontrado sua independência financeira nessa modalidade, afinal, todo mundo saber fazer muito bem alguma coisa. E o que elas fazem? Colocam esse conhecimento em um material e torna-o disponível para o grande público e se tornam infoprodutores. Para disponibilizar seu material, basta procurar alguma das plataformas que trabalham dessa forma.

Os infoprodutos têm a grande preferência porque se tratam de um material mais econômico, completo, acessível e de fácil acesso. Basta um local de acesso à internet para ter conhecimento do que traz o material escolhido.

Por se tratar de algo tão rápido e tudo ser feito pela internet, oferecer um infoproduto é uma ótima maneira de conquistar a liberdade financeira, pois o retorno é instantâneo. Então um dos melhores conselhos é esse: Sabe fazer algo e tem condições de passar esse conhecimento? Transforme em mídia digital.

2 – Mercado de afiliados

Assim como os infoprodutores encontram suas chances no mercado digital, os promotores – ou afiliados – também têm espaço. O infoprodutor pode levar seu produto até o público, porém seria um trabalho muito braçal e nem que trabalhasse 24 horas, todos os dias da semana, não conseguiria alcançar um número que faria a diferença para a independência financeira.

Além, é claro, de o cansaço tomar conta. Inclusive assista esse vídeo do Fagner e descubra que produtividade não tem nada a ver com horas a fio de trabalho.

O afiliado vai promover um infoproduto. Para isso, basta se cadastrar em alguma plataforma que disponibilize essa modalidade, como o Hotmart, Eduzz ou Monetizze, por exemplo, e escolher aquele infoproduto que tenha algum conhecimento ou simplesmente simpatize com o material ou com a comissão oferecida, que pode chegar a até 80%.

Após o cadastro, nem sequer será necessário possuir um blog ou site. Basta apenas utilizar o Facebook Ads, por exemplo. Ele conta com filtros que levam o infoproduto até o público-alvo, e o afiliado terá apenas que fornecer algumas informações sobre quem é o público que deseja impactar e sobre o tipo de anúncio que quer colocar em circulação.

E se você quiser saber mais sobre o mercado digital, e conhecer as maiores autoridades do empreendedorismo digital do Brasil, recomendamos que você participe do Freesider Meeting, maior evento de empreendedorismo digital do Nordeste. Clique na imagem e saiba mais…