Como é feito o cálculo de horas trabalhadas? Essa talvez seja uma das perguntas mais feitas nos últimos anos.

Trabalhar na internet tem sido a melhor solução para muitos. Mas antes, a pessoa quer entender como calcular horas trabalhadas e, então, escolher o melhor caminho.

Trabalhar na internet é uma excelente opção porque permite que o profissional não se preocupe mais com trânsito ou se manter dentro de horários.

A liberdade conquistada através de um trabalho na internet é muito convidativa e deve sim ser analisada com atenção.

Para dar um up maior nos seus negócios, para  ter um aproveitamento melhor ainda da leitura desse artigo, eu te convido agora a assistir gratuitamente à aula “O dia de 3 Horas” que vai te ensinar como conseguir os resultados de um dia inteiro de trabalho em apenas 3 horas!

Trabalhe apenas 3h por dia
Trabalhe apenas 3h por dia

Como fazer corretamente um cálculo de horas trabalhadas?  

Antes de tudo, vamos entender rapidamente como é feito o cálculo de horas trabalhadas:

Como fazer corretamente um cálculo de horas trabalhadas
Hora de descobrir como fazer corretamente um cálculo de horas trabalhadas

Supondo que o profissional trabalhe 8 horas por dia, de segunda-feira a sábado, a semana contará com 44 horas trabalhadas.

Essas 44 horas da jornada semanal de trabalho já foi estabelecida na contratação, e segue o artigo 7º inciso XIII da Constituição Federal.

Em um mês, a quantidade de horas trabalhadas será de 220. Ainda na suposição, digamos que esse mesmo profissional recebe um salário de R$2.000,00 por mês.

Para calcular horas trabalhadas e chegar ao valor-hora, basta dividir 2.000 por 220 (salário / horas trabalhadas), e chegaremos ao valor de R$9,09.

Hora Extra

O cálculo da hora extra é feito em cima daquele valor-hora de R$9,09.

E como calcular horas extras?

50% desse valor deverá ser acrescentado a cada hora trabalhada a mais. Vamos a um exemplo:

O profissional tem um acréscimo de tempo trabalhado, a hora extra, de 20 horas no mês. Basta multiplicar R$13,64 (valor-hora + 50%) por 20 (horas trabalhadas a mais).

O profissional terá um acréscimo de R$282,80 no salário final.

Quando a hora extra é realizada nos finais de semana, o valor deverá ser de R$18,18 por hora trabalhada, visto que nessas datas 100% da hora deverá ser acrescentada.

Agora que já compreendeu como calcular horas trabalhadas, vamos aos direitos do trabalhador quanto à rescisão do contrato de trabalho.

Quais os direitos na hora da rescisão do contrato de trabalho?

Essa é uma situação bastante comum. O profissional precisa entender que ser demitido ou pedir demissão não deve ser encarado de forma negativa, mas sim como uma chance de recomeço.

Quais os direitos na hora da rescisão do contrato de trabalho
A demissão é o momento da virada

O cálculo da rescisão do contrato de trabalho é uma das maiores dores de cabeça dos profissionais de RH, contabilidade e do funcionário que está saindo da empresa.

Isso porque o cálculo de horas trabalhadas que segue a Legislação Trabalhista Brasileira é muito complicado, pois essa é uma legislação complexa e de difícil entendimento.

Para saber de onde partir na hora de calcular a rescisão do contrato de trabalho, o profissional precisa saber em qual categoria ele se encaixa.

Demissão sem justa causa

Essa demissão ocorre quando a empresa desliga seu funcionário através de sua liberdade, sem precisar explicar um motivo para tal.

De modo geral, o profissional demitido sem justa causa, poderá calcular horas trabalhadas e mais valores previstos em leis, como:

  • Saldo de salário
  • Aviso prévio
  • Férias proporcionais mais 1/3
  • Férias vencidas, se houver, mais 1/3
  • 13ª salário proporcional
  • Depósito do FGTS
  • Multa rescisória (40% – FGTS)

Vale lembrar que cada empresa terá acertado todos os detalhes no momento da contratação, e se existirem férias vencidas, e o prazo para a concessão também tenha vencido, as férias serão pagas em dobro.

E mais, se o empregado foi demitido sem justa causa no período de 30 dias que antecede a data de sua correção salarial, também poderá contar com uma indenização adicional equivalente a um salário mensal, em decorrência do art. 9 da Lei 7.238/84.

No caso do nosso profissional fictício, o salário é de R$2.000,00, trabalhou por 10 anos na empresa, não precisou cumprir aviso prévio, trabalhou por 30 dias no mês da rescisão e não conta com hora extra nem férias vencidas.

Sua admissão na empresa foi no dia 01/11/2007 e sua demissão no dia 31/10/2017.

Saldo de salário = R$2.000,00 (Salário / 30 dias x 30 dias trabalhados no mês da rescisão)

Aviso prévio = Equivalente a um salário, então nesse caso, R$2.000,00

Férias proporcionais = R$2.223,00 (Salário / 12 meses x 10 meses trabalhados no ano da demissão + 1/3)

13º proporcional = R$1.667,00 (Salário / 12 meses x 10 meses trabalhados)

Depósito do FGTS = Vamos supor que esse tenha sido o salário desde o início. Até o momento, o empregador teria depositado R$18.880,00 em média. Logo, o valor a ser depositado será de R$26.432,00 (FGTS + 40%)

O valor rescisório do nosso personagem fictício seria de R$34.322,00.

Vale lembrar que aqui foi feito um cálculo de forma simplificada. As empresas contam, na maioria das vezes, com hora extra, férias vencidas e mais alguns números que precisam entrar no cálculo.

Demissão com justa causa

No caso das demissões ocorridas devido à faltas graves por parte do empregado, o mesmo terá direito apenas ao saldo de salário e às férias proporcionais.

Ele também não poderá movimentar seu FGTS e não terá direito ao seguro-desemprego.

Rescisão por iniciativa do empregado

Quando o empregado pede demissão, ele terá direito ao saldo de salário, férias vencidas com adicional de ⅓, férias proporcionais com adicional de ⅓ e 13º proporcional.

Para registro, o funcionário deverá cumprir o aviso prévio (há menos que o empregador o dispense) e será agregado ao valor final mais os cálculos feitos em cima do aviso prévio, que contará para o cálculo das férias, 13º proporcional e depósito do FGTS.

É importante enfatizar que o cálculo de horas trabalhadas e o cálculo da rescisão do contrato de trabalho será específico para cada caso. O protagonista dos cálculos expostos aqui é fictício.

Com as Reformas Trabalhistas de 2017, é possível existir um comum acordo entre empregado e empresa.

O que fazer com o valor recebido no momento da rescisão do contrato de trabalho?

Obviamente, o primeiro impulso é gastar, não é verdade?

Isso é compreensível, pois com esse montante de dinheiro, muita coisa poderia ser feita. Mas não seria mais interessante aumentá-lo?

O que fazer com o dinheiro da rescisão do contrato
Veja o que fazer com o dinheiro da rescisão

Com o crescimento da sua renda, poderia até planejar uma viagem para a Disney! Por que não?

Pois é! A maneira mais inteligente de aproveitar esse dinheiro, é fazendo ele crescer e trabalhar para você!

Existem muitas maneiras de investir o dinheiro de forma inteligente, e a poupança não está entre elas.

Isso porque o dinheiro fica parado gerando um aumento de apenas 0,5% ao mês. Existem opções que fazem seu dinheiro crescer acima desse percentual. Vamos dar uma olhada em algumas delas:

Ações

A pessoa que opta por essa opção terá que, basicamente, abrir uma conta em uma corretora e colocar o dinheiro que será investido.

Em um segundo momento, através do Home Broker, o investidor vai escolher em quais ações deseja colocar seu dinheiro.

Quando as mesmas chegarem a uma melhor valorização, o investidor poderá vendê-las e atingir níveis bem altos de lucros.

Tudo vai depender de como está a empresa que recebeu o investimento, no mercado.

Debêntures

Essa opção vai render juros que serão repassados ao investidor.

Debênture é o nome que se dá quando uma empresa precisa de determinado valor para realizar um projeto, por exemplo, e ao invés de emprestar dinheiro de bancos e financeiras, ela lança títulos no mercado.

Vamos imaginar que uma empresa precise de um milhão para a realização do seu projeto. Ela lança mil títulos que valem mil reais cada.

O investidor adquiri esse título e se torna um debenturista, ou seja, um credor da empresa que irá receber o valor investido com juros.

É importante lembrar que a devolução do dinheiro, a taxa de juros, se existirá correção do valor que foi investido pelo IPCA, garantias e demais detalhes deverão ser analisados antes de adquirir esse título.

Fundos de Investimento

Através dos fundos de investimentos, o investidor terá a oportunidade de aplicar seu dinheiro nos mais diversos produtos adquirindo as chamadas cotas.

Supondo que uma empresa ofereça cotas no valor de R$1,00. Se o investidor aplicar R$10.000,00, ele contará com 10.000 cotas.

A partir do momento do investimento, o gestor da empresa terá total liberdade para investir naquilo que interessar à empresa.

A medida que o patrimônio do fundo das cotas for aumentando, o valor da cota também aumentará.

Clube de investimentos

Clube de investimentos é o nome dado à união de recursos a serem investidos de um determinado grupos de pessoas, que deverá contar com um mínimo de três membros, e um máximo de 50 membros.

De acordo com as escolha do grupo, o valor poderá ser aplicado na bolsa ou em ações de empresas.

Esse tipo de modalidade permite que pequenos investidores tenham a oportunidade de ingressar no mercado de títulos e valores.

CDB’s e RBD’s

Os Certificados de Depósitos Bancários (CDB) e os Recibos de Depósitos Bancários (RDB) são uma forma que os bancos encontraram de conseguir dinheiro através de um investidor, oferecendo o retorno do investimento com juros.

A principal diferença entre ele, é que a primeira opção poderá ser solicitada pelo investidor antes da data de vencimento, enquanto a segunda opção é intransferível e inegociável.

Ambos são investimentos de baixo risco por contarem com renda fixa. A maior preocupação do investidor deve ser em relação à seriedade e credibilidade da instituição a qual empresta o dinheiro.

Títulos Públicos

Assim como o CDB e CDR são empréstimos feitos aos bancos, os Títulos Públicos são uma forma de emprestar dinheiro ao governo.

Através do Tesouro Nacional, o Governo Federal emite títulos para financiar dívidas do país e podem ser pré-fixados, pós-fixados ou indexados à inflação.

Eles também contam com com prazo de vencimento e maneiras de remuneração já informados no momento da emissão. Outra grande vantagem, é que o risco desse tipo de modalidade é bem baixo.

Como aplicar essa renda para trabalhar na internet?

Encontrada a modalidade que mais se aplica à necessidade, o investidor tem seu colchão financeiro mantendo-o seguro e pode aplicar a renda desses investimento em um trabalho na internet, para gerar ainda mais lucros.

Como aplicar meu dinheiro para trabalhar na internet
Veja como aplicar seu dinheiro em um negócio digital

Uma das maneiras mais rentáveis, visto que gera altos lucros e exige baixos investimentos, é o Mercado de Afiliados.

O primeiro passo para atuar como um afiliado é se  cadastrar em uma ou mais empresas que disponibilizam produtos, como o Hotmart, Eduzz ou Monetizze, por exemplo.

Dentre as diversas opções de nichos, o afiliado escolhe seguindo critérios de afinidade e visão de rentabilidade para então começar os trabalhos de direcionamento dos produtos, soluções, a quem precisa deles.

MIlhares de pessoas espalhadas na Internet, no Facebook, que podem vir a se interessar por uma oferta e fazer uma compra.

A missão do afiliado é divulgar o link de vendas daquele produto, investindo em campanhas na rede social, que oferece o recurso de filtros para direcionar bem o público alvo. Cada compra realizada, é a comissão que entra no bolso. .

Nesse momento, te convido a assistir esse vídeo do Fagner Borges que explica detalhadamente todo o funcionamento do Mercado de Afiliados.

Quanto posso ganhar com o Mercado de Afiliados?

Tudo vai depender do produto que escolher e do tamanho da comissão oferecida pelo produtor.

Hoje em dia, contamos com produtos que podem oferecer até 80% de comissão. Para entender, vamos explicar em números:

Quanto posso ganhar com o Mercado de Afiliados
Os seus rendimentos vão depender de muitos fatores, contudo saiba que não há limites

O produto oferecido custa R$100 e através da campanha no Facebook, o afiliado consegue vender, em média, 3 desses infoprodutos por dia.

O produtor está oferecendo 50% de comissão, ou seja, R$50 por cada venda. No final do mês, seguindo essa linha, o lucro do afiliado será de R$ 4.500 por mês.

Vantagens do Programa de Afiliados

Como se não bastasse a vantagem de ganhos tão elevados, o Mercado de Afiliados permite ao afiliado a tranquilidade de não ter que trabalhar com estoque, com entregas e nem será responsável por pagamentos.

quais as Vantagens do Programa de Afiliados
Além de ficar livre das problemáticas mais acima, os afiliados possuem uma liberdade incrível

E ainda não vai ter vínculos empregatícios, o que possibilita ao afiliado trabalhar com diversas empresas que ofereçam esse tipo de serviço.

E todo o pagamento é garantido pela plataforma escolhida, não existindo o menor risco de não receber pelos infoprodutos vendidos.

O mais importante é sempre manter um valor para o investimento e utilizar a técnica da Bola de Neve, que assim como a imagem que tanto se vê em desenhos, fala sobre uma pequena quantidade investida que vai crescendo a cada mês se não retirada do processo de investimento.

Dá uma olhadinha aqui, é só se inscrever e olhar mais uma dica muito valiosa do Fagner sobre a Técnica da Bola de Neve. Aprenda de uma vez por todas e deixe seu dinheiro trabalhando e rendendo por você.

Poderíamos ficar aqui por horas falando sobre as vantagens de se tornar um afiliado, mas tempo é dinheiro! Então não perca mais o seu e corre se programar, coloca tudo no papel e comece hoje mesmo a trabalhar na internet e veja seus números crescerem cada vez mais!

Boa sorte!