O surf avançou pelos limites das relações humanas. Até pouco tempo atrás, terno e gravata eram objetos estranhos ao universo surfista, quase anomalia perto de uma prancha. Hoje, é fácil encontrá-los na mesma selfie em qualquer rede social.

Cada vez mais jovens iniciam busca pelas sensações desse que é esporte e, ao mesmo tempo, forma de encarar a vida. Dicas de surf são essenciais nesses casos. Para esses jovens que iniciam nesse mundo diferenciado, a gente deixa aqui dicas de surf importantes. Dicas de técnicas e de sobrevivência.

Dicas de surf: aprendendo a surfar passo a passo
Dicas de surf: aprendendo a surfar passo a passo

O mundo do surf é de mistério; estranhamente, mistérios conhecidos, desses capazes de surpreender com momentos esperados. Tem sua própria lógica e suas próprias regras e leis, mas nenhuma delas distante do que se espera de seres humanos pensantes – pensantes que pensam com ações e iniciativas.

Boa parte deles é de empreendedores. Fagner Borges é exemplo.

Falamos com alguns surfistas. Além de dicas de surf, ouvimos de todos eles que o sentido de vazio ganha outro jeitão de ser. O vazio pro mundo normal se torna cheio de razões para viver.

A mais forte delas ouvida em todos os depoimentos foi “preservação e respeito para com a natureza”. E isso é particularmente intrigante nesse pessoal queimado de sol.

Mainei Kinimaka dá dicas de surf: ele se confunde com alma
Mainei Kinimaka dá dicas de surf: ele se confunde com alma (Foto: redes sociais)

“Minha conexão com o surf e a alma é tão profunda que toda vez que eu remo, me sinto parte do oceano. Parece que eu e as ondas somos uma única coisa”, poetizou a surfista profissional Mainei Kinimaka do Havaí. E é praticamente isso que encontramos nos argumentos dos surfistas para justificar tamanha paixão pelo esporte.

Por que praticar surf

Essa não é uma questão fácil de responder, mas Maíra Pabst, jornalista paulista, editora de dicas de surf e também praticante, encontrou uma maneira bem humorada de abordá-la. Para ela, há “05 motivos fortes para você NÃO praticar surfe”. 

  1. Você nunca vai conhecer locais que o resto do mundo venera, como Paris, por exemplo, que não tem praia
  2. O epíteto “ovelha negra da família” vai se encaixar muito bem em você
  3. Você não vai conseguir ficar em nenhum emprego longe de uma praia
  4. Relacionamento duradouro vai se tornar sonho distante
  5. Você vai perder muitas bebedeiras em festas familiares

Pelos motivos acima para não surfar, você pode ter ideia do monte de bons motivos para surfar.

1 – Limitação cardiovascular? Vai surfar

Surf é exercício, é movimento corporal. A vantagem dos exercícios que o surf envolve é que são praticados em ambiente com umidade aérea excelente. Não à toa, a primeira das dicas de surf que damos fala sobre coração.

Surfe para iniciantes
Surfar faz bem ao coração. O físico e o emocional.

O ato de abaixar, remar, levantar, curvar-se, flexionar membros, tudo isso cadenciado, é excelente condicionamento físico. Praticamente todos os músculos de seu corpo são incentivados a movimentar-se.

2 – Precisa de equilíbrio corporal? Vai surfar

O objetivo prático do surfista é ficar em pé sobre uma base em movimentos de certa forma aleatórios. Isso, obviamente, tende a forçar aperfeiçoamento do senso de equilíbrio. O cérebro trabalha para desenvolver estratégias para manter o corpo sobre a prancha.

O surfista começa a criar harmonia entre cérebro e corpo, o que reflete na capacidade motriz. Essa condição é levada para a vida fora do mar e avança nos aspectos emocionais.

3 – Precisa desenvolver agilidade? Vai surfar

O surfista precisa tomar decisões imediatas, de momento. O comportamento da superfície do mar nunca se repete. Poder de decisão com ação física quanto mental é de importância crucial na prática do surfe.

Com o tempo, essa capacidade ganha força cada vez maior e é levada para a vida pessoal.

4 – Está estressado? Vai surfar

O poder antiestafa e antiestres do surfe é quase óbvio. Convívio com mar, diversão, sociabilidade, trabalhoem equipe, falta de rotina e outros elementos tornam a vida do surfista muito mais leve e tranquila.

5 – Músculos travados? Vai surfar

Como foi dito no item 01, surfe é exercício que estimula a esmagadora maioria dos músculos corporais. A complexidade de boa parte de seus movimentos “destrava até mesmo engarrafamento de trânsito”, brincou um de nossos entrevistados, Marco Quiorato.

6 – Gosta da natureza? Vai surfar

Surfar é praticado eminentemente na natureza. Não há como praticá-lo em ambiente fechado. A natureza está na essência do surfe.

7 – Problemas respiratórios? Vai surfar

A umidade relativa do ar do ambiente surfista é excelente; junto com movimentos corporais, essa condição é mais que adequada a bom desempenho e eficácia do sistema respiratório.

8 – Autoestima baixa? Vai surfar

“Surfar é se encontrar”, lembra Maíra. Quando você consegue permanecer em pé sobre uma prancha em movimento constante, seus limites físicos e mentais são invadidos por sua determinação e senso de êxito. Você acaba criando forte admiração por si mesmo.

Nada melhor para resolver qualquer problema de autoestima baixa.

9 – Busca qualidade de vida? Vai surfar

As melhores ondas são matinais; as melhores horas para surfar são as de manhã. Os raios do sol são amigáveis, a brisa é tranquila e você precisa acordar cedo para usufruir de tudo isso. Para acordar cedo, é preciso dormir cedo e bem.

Isso é boa qualidade de vida.

10 – É militante das causas da natureza? Vai surfar

Ao surfar, seu contato com os problemas que a natureza enfrenta por causa do comportamento humano – mar, animais marinhos e aves, praia etc. – se intensifica. Seus conceitos sobre proteção do meio ambiente são fortalecidos e embasados em experiência vivida e não lida.

Ei! Antes de seguir para as próximas dicas, deixa a gente te mostrar alguns outros esportes radicais que destacamos aqui no vida de freesider…

1 – Descubra as melhores dicas de kitesurf para iniciantes

2 – Descubra onde praticar trekking no Brasil

3 – Descubra agora os melhores lugares para saltar de paraquedas no mundo em 2017

Dicas de surf para iniciantes

A muitas versões da história do surf levam a 03 ou 04 origens diferentes. O interessante é que todas acabam envolvendo jovens de uma ou de outra forma.  Para alguns, o surf nasceu no Peru; para outros, na região da polinésia.

dicas de surf para iniciantes
Dicas de surf: quando for experiente, vá surfar no Hawaii

 

Sabe-se que os polinésios de 1000 anos atrás já se sustentavam com a pesca; para facilitar, construíam pranchas de madeira chamada Alaia, na qual se deitavam com o torso nu e remavam com as mãos. Deitados, ficavam mais perto dos peixes para capturá-los.

Arídio M. S.  Neto e Mônica Wendhausen, dois pesquisadores cientistas do Instituto Catarinense de Pós-graduação, mencionam no artigo A prática do surf e sua influência no desenvolvimento infanto-juvenil, que, naquela época, a pesca era praticada mais por jovens adolescentes.

Alguns estudiosos mais profundos creem que a genética polinésia surfista começou a ser instituída no DNA havaiano a partir daí. E tem seu ápice na adolescência.

Por isso, para você que está dando asas a sua genética surfista, temos aqui algumas dicas de surf para iniciantes. Por se destinar a iniciantes, vamos dividir as dicas aqui em duas categorias maiores: segurança e eficácia.

Dicas de Surf – Segurança

Apesar de elevar o nível de adrenalina, de ser estimulante, de atrair multidões – inclusive de aspirantes a praticantes -, surfar é esporte difícil. Requer habilidades que nem todos têm para apresentar.

Por isso, mantenha seu nível de atenção às questões de segurança no mais alto grau possível. A superfície do mar é grande enganadora de sentidos.

Dicionário Surfês

Antes das dicas, vamos ao conhecimento básico sobre algumas palavras. É bem possível que você já conheça muitos termos no mundo do surfe. Afinal, gosta de surfe. Mesmo assim, eis alguns: 

  • Alisar: procurar área mais tranquila do mar
  • Alternates: Surfistas suplentes para casos em que o titular não possa participar de competição
  • Backside: cavada de costas para a onda
  • Banco de areia: monte de areia submersa que quebra ondas
  • Batida: subir a parede da onda e bater com o fundo da prancha na crista da onda
  • Bomba: onda muito grande
  • Big rider: atleta que busca sempre as maiores ondas
  • Caldo: queda do surfista da prancha
  • Cavada: ganhar velocidade fazendo curva na base da onda
  • Cutback: manobra em “S”; cavar a base e voltar para a direção oposta e, então, para a anterior
  • Crowd: grande quantidade de surfistas no mar
  • Drop: é o início da pegada da onda; dropar é pegar a onda
  • Elevador: subir pela frente e descer por trás da onda
  • Flat: falta de onda, mar liso
  • Free surfer: praticante por prazer, sem intenção de participar de campeonatos
  • Frontside: cavada de frente para a onda
  • Giro: movimento de troca de direção
  • Goofy: atleta que usa o pé direito à frente na prancha
  • Haole: forasteiros, estranhos ao local de surfe
  • Inside: o local aonde as ondas quebram
  • Lay day: adiamento de bateria por causa da condições do clima
  • Lip: alto da onda, crista, onde fica a espuma
  • Marola: ondas pequenas
  • Merrequeiro ou maroleiro: surfista que procura ondas pequenas
  • Pop-up: impulso para subir na prancha. Deve-se evitar uso dos joelhos como apoio. Como subir na prancha de surf é ação importante tanto para profissionais, que ganha tempo, como para iniciantes, que encontra o equilíbrio mais facilmente.
  • Quebra-côco: túnel pequeno, onda oca
  • Rabeta: parte traseira da prancha
  • Rabear: “roubar” onda de outro surfista
  • Rasgada: manobra de ir em direção ao lip, mas retornar para a base rapidamente
  • Regular: surfista que põe o pé esquerdo à frente da prancha
  • Série: bom conjunto de várias ondas repentinas
  • Swell: ondulação da água
  • Shaper: fabricante de pranchas
  • Storm: mar bravio que apresenta perigo para a prática
  • Tow in:é  o ato de o surfista ser rebocado para a base de ondas muito grandes. Considerado o sonho de todo surfista
  • Vaca: mesmo que “caldo”; cair da prancha é pegar vaca
  • Wildcard: surfista participante como convidado de eventos
  • Qualyfing: sessões classificatórias de um campeonato

Felipe monteiro, 31 anos, morador da zona leste de S. Paulo, é surfista experiente. O mar foi paisagem diária em boa parte de sua vida quando morava em Salvador. Aprendeu a surfar com amigos e parentes. Ensina: “É preciso entender que a água, de forma geral, é elemento poderosíssimo. Sofri lesões por não respeitar o mar”.

Vamos às dicas de segurança.

1 – Esquenta

Já comentamos acima que surfe é exercício. Entrar no mar com o corpo frio e os ligamentos ainda dormentes não é bom. Alongue-se e esquente o corpo um pouco antes de entrar.

2 – Insolação

Via de regra, seu esporte favorito é praticado sob sol intenso, especialmente no Brasil. Cuidado.

3- Não queime experiências

Seu estágio é iniciante. Não tire isso da cabeça por vários meses à frente. Procure local com ondas menores para adquirir experiência com segurança.

4 – Conselheiro

O mar é seu melhor conselheiro. Quando está revolto, está enviando conselhos a você para não entrar nele. Preste atenção a esses avisos. Observe o comportamento de banhistas e outros surfistas enquanto se alonga. Isso pode evitar problemas sérios.

Monteiro lembra: “O iniciante não deve surfar sozinho nem se afastar muito da praia”.

5 – Prancha adequada

Escolha a prancha certa para quem está começando, observando seu próprio peso e altura. O comerciante pode auxiliar nesse sentido.

6 – Cordinha no tornozelo

Não confie cegamente nela. Acidentes acontecem. Confie mais em sua capacidade de nado.

7 – Alertas são alertas

Não se engane; se alguém colocou aviso de perigo, certamente há algum perigo. Respeite isso.

8 – Força da onda

Identifique a diferença da força da onda sobre seu corpo e sobre a prancha. Uma mesma onda exerce impacto mais intenso sobre a superfície da prancha, o que pode incorrer em pequenas ou médios acidentes.

9 – Animais

Você pode ter enorme respeito pela natureza e preservar o meio ambiente, mas sempre será um intruso em território alheio. Tubarões, estrelas do mar, barracudas, moreias e outros mais têm comportamento indicativo de presença. Atente-se a isso.

10 – A favor da corrente

Se cair em corrente marítima, o melhor a fazer é nadar em perpendicular ou ainda na diagonal em relação a ela. Aos poucos, você consegue sair dela.

11 – Inteligência X desafios

Evite região do mar com muitos surfistas mais experientes. Desafios são interessantes quando se conhecem os próprios limites. Na condição de iniciante, você ainda não os conhece.

É possível que você seja desafiado. Use a inteligência para não aceitar.

Muito importante:  falamos acima sobre leis próprias do surf. Lembre-se de nunca, mas nunca mesmo, avançar sobre uma onda ocupada por outro surfista. Isso é regra que ninguém deve infringir.

Dicas de Surf – Eficácia

Agora que você conhece palavras básicas – quase palavras mágicas – do meio do surf e algumas dicas de segurança, está pronto para iniciar assimilação de experiência. O ideal, claro, é contratar um bom instrutor; mas, se você não tiver oportunidade para isso, converse com surfistas que estejam no local. Uma das características desse mundo é coleguismo.

Monteiro aprendeu a surfar com amigos e parentes, usando justamente aquele caráter de coleguismo. Outra saída é acompanhar nossas dicas.

1 – Parafina

A função da parafina é evitar que seus pés escorreguem. Raspe qualquer resto de parafina que eventualmente houver. Aplique em movimentos circulares e, antes de endurecer, passe um pente para criar sulcos. Jogue água fria para secar e aderir mais ainda à prancha.

Aliás, tenha toda atenção à qualidade da prancha. Nada mais desestimulante que ter o principal objeto de atividade avariado.

2 – Treino a seco

Antes de se aventurar na água, treine equilíbrio na areia. Faça um montículo de uns 40cm de altura e coloque a prancha sobre ele.

O cume deve estar bem no centro da prancha para criar movimentos ondulares. Antes de “subir na onda”, observe a resistência da prancha. Qualquer queda sobre ela pode rompê-la.

dicas de surf:
dicas de surf: treine sobre areia antes de entrar na água

Suba. Movimente os pés a partir dos ligamentos com o tornozelo para criar movimentos esperados. Descubra limites, avance, volte… sua percepção de equilíbrio está sendo exercitada nesse momento.

3 – Mantenha a postura certa

Identificar a posição dos pés mais confortável é coisa pessoal. Descubra a dos seus, descubra se você é um goofy ou um regular.

As pernas precisam estar a meia flexão a fim adequar posicionamento o corpo para bom equilíbrio. Alguns atletas já experientes ajustam os pés de forma que um fique perpendicular ao outro; outros, preferem mantê-los paralelos.

Pense nas águas abaixo da prancha como se fossem molas com forças diferentes. Cada uma empurra a prancha a sua maneira. Neste caso, haverá momentos em que você vai precisar flexionar mais as pernas ou flexionar menos para absorver a força desses empurrões.

Monteiro explica: “O quadril e os ombros devem estar sempre muito relaxados; a intimidade com as ondas chega naturalmente”.

4 – Braços

Já no treino a seco (dica 02 acima), você vai perceber que os braços têm importância crucial no desenvolvimento de sua técnica de surf. Eles servem para buscar melhor ponto de equilíbrio durante o menear da prancha.

5 – Drop

Quando dropar, evite usar os joelhos no pop-up para não perder tempo ou para não dificultar chegada ao equilíbrio.

6 – Giro

Penda seu ombro levemente para o lado que pretende fazer o giro. Esse movimento deve ser sincronizado com o dos pés, que forçam a prancha a pender também.

Como você é iniciante, as dicas acima são suficientes até que você adquira experiência mais intensa. Então, por si só, vai descobrir seu próprio jeito de surfar. E não vai querer parar nunca.

Qual é o custo para praticar surf

Um iniciante deve começar com pranchas grandes. São mais fáceis de dominar e oferecem maior estabilidade. Roupa também é acessório importante. Veja aqui alguns custos antes de começar a se envolver com surf.

  • Prancha

Você encontra boas pranchas por 1200R$. Menos que isso, preocupe-se com a qualidade. Há algumas que passam de 3000R$.

  • Roupa

Você pode surfar de bermuda e short, mas, se quiser impressionar a si mesmo e surfar mais confortavelmente, use roupa própria. Você vai desembolsar de 400R$ a 700R$

  • Parafina

De 15R$ a 20R$

  • Quilha

Quilha são barbatanas de tubarão que são instaladas no fundo das pranchas para dar mais estabilidade. Os preços variam de R$ 50,00 a R$ 200,00.

  • Deck

Decks são partes acopláveis na parte frontal da prancha. Custam de R$ 130 a R$ 200.

Há outros acessórios que você vai usar à medida que for ganhando experiência.

Como você viu aqui, surfar não pode ser considerado apenas um esporte. É quase uma localidade de seres diferenciados, quase uma confraria de mestres de si mesmos. Quando começar a surfar, perceber isso na alma.

Esteja atento a nosso site. Participe e deixe na área de comentários suas experiências, suas expectativas,  suas esperanças com essa atividade fascinante.

Boas ondas!

Ei! Separamos esse vídeo mais abaixo para você dar uma olhada em algumas dicas de surf…