5 (100%) 1 vote

A tristeza é uma emoção tão forte que ronda todas as áreas da vida, influenciando muitas atitudes. E com a tristeza no trabalho não é diferente, pois ela se mantém presente também fora do trabalho.  

O movimento mais comum relacionado a tristeza, é a rejeição. Principalmente a tristeza no trabalho, é rejeitada como se não não houvesse um porquê. E a tristeza vai sendo evitada.

Uma pessoa tendo o braço enfaixado
Uma pessoa tendo o braço enfaixado

Embora seja totalmente desconfortável, uma das melhores coisas que pode ser feito é, aprender a entender a tristeza.

Assim como a alegria, a tristeza também é contagiante. E profissionais, como enfermeiros, que trabalham em ambientes mais carregados negativamente como hospitais, precisam ainda mais, administrar essa emoção.

final, a tristeza, assim como outras emoções, pode ser vista como um feedback valioso de nós mesmos em relação às nossas decisões, situação e o mundo ao nosso redor.

Por isso, a tristeza no trabalho não deve ser uma emoção menosprezada. Ao contrário, deve ser compreendida, a fim de entender o motivo que a originou.

Principalmente enfermeiros que devem passar positividade e esperança aos pacientes, em um ambiente desesperançado e cético.

A leitura deste artigo já é um sinal positivo de que é necessário identificar as emoções para lidar melhor com a tristeza no trabalho.

Leia até o final, para reconhecer as possíveis causas da tristeza no trabalho de enfermagem, e aprenda o que pode ser feito para superar.

Tristeza no trabalho de enfermagem

A tristeza no trabalho pode acontecer em qualquer atividade, mas em ambientes insalubres, como é o ambiente de trabalho de profissionais de enfermagem, a tristeza é ainda mais comum.

O fato é que, influências externas podem afetar nosso estado de energia. A energia positiva é absolutamente contagiosa, mas também a energia negativa.

Mulher triste em corredor de hospital
Mulher triste em corredor de hospital

No entanto, quando identificada a energia negativa, seja de cansaço, esgotamento ou estresse, pode ser transformada em algo positivo.

A cantora, compositora e cineasta Yoko Ono, disse – “Percebi que, se meus pensamentos afetam imediatamente meu corpo, devo ter cuidado com o que penso. Agora, se fico com raiva, me pergunto por que me sinto assim. Se eu puder encontrar a fonte da minha raiva, posso transformar essa energia em algo positivo”.

Todas as emoções são resultado da soma de todas as atitudes e decisões durante o dia. Por isso, é comum estar mais estressado ao final de um dia estressante. Ou mais preocupado, quando houve um problema sério.

Sendo assim, esse sentimento não pode ser ignorado, mas entendido. O que está causando essa atitude ruim?

Seu primeiro passo é chegar à raiz do que está causando sua tristeza no trabalho.

O que te causa tristeza no trabalho?

  • Você está constantemente discordando de um colega de trabalho ou vice-versa?
  • Você tem burnout de trabalho?
  • Um paciente disse algo que o incomodou e você está tendo dificuldades para lidar?
  • Você está passando por um problema pessoal que não tem nada a ver com o seu trabalho?

Todos esses questionamentos devem ser analisados para identificar a causa da tristeza no trabalho.

Mulher triste e sem saber como lidar com isso
Mulher triste e sem saber como lidar com isso

Um ótimo exercício, para chegar a uma conclusão sobre a causa da tristeza no trabalho é, ao final de cada dia, tentar lembrar das suas emoções de acordo com cada situação.

Se esforce para lembrar como se sentiu quando um colega de trabalho discordou de você. Qual foi seu sentimento quando um paciente ou acompanhante questionou seu trabalho?

Exercite a lembrança dessas emoções e diferencie o que realmente te incomoda e mais te afeta e te faz ter o sentimento de tristeza no trabalho.

Identificar o gatilho que te causa tristeza no trabalho é o que garante a possibilidade de busca por motivação no trabalho. Evitando assim, a depressão relacionada ao trabalho de enfermagem.

Esgotamento no trabalho

Junto com a tristeza no trabalho outro sentimento presente é de esgotamento. De cansaço em relação às atividades diárias. Desânimo para ir trabalhar.

Esse estágio é identificado como síndrome de Burnout. Sentimento que passa pela tristeza no trabalho e se aproxima da depressão no trabalho, mas que na verdade é um profundo cansaço.

https://www.youtube.com/watch?v=OlrXFCS8n34&t=5s

O termo é utilizado para classificar o estresse severo e os altos ideais experimentados por pessoas que trabalham em profissões de “ajuda”. Médicos e enfermeiros, por exemplo, que se sacrificam pelos outros, acabam esgotados.

 Três principais áreas de sintomas são consideradas sinais de síndrome de burnout:

  • Exaustão emocional

As pessoas afetadas sentem-se esgotadas e exaustas, sobrecarregadas, cansadas e baixas, e não têm energia suficiente. Os sintomas físicos incluem dor ou problemas com o estômago ou intestino.

  • Alienação de atividades relacionadas ao trabalho

As pessoas afetadas encontram seus empregos cada vez mais negativos e frustrantes. Eles podem desenvolver uma atitude cínica em relação ao ambiente de trabalho e aos colegas. Podem, ao mesmo tempo, distanciar-se cada vez mais emocionalmente e se desvencilhar de seu trabalho.

  • Desempenho reduzido

O burnout afeta principalmente as tarefas cotidianas no trabalho, em casa ou ao cuidar dos membros da família. Pessoas com burnout consideram suas atividades muito negativas, acham difícil se concentrar, são apáticas e sentem falta de criatividade.

Burnout e depressão no trabalho

Certos sintomas atribuídos ao burnout também ocorrem na depressão relacionada ao trabalho de enfermagem. Esses incluem

  • exaustão extrema
  • desânimo
  • desempenho reduzido.

https://www.youtube.com/watch?v=Xi9BUI7jlyw&t=2s

Mesmo compartilhando de alguns sintomas, o tratamento de tristeza no trabalho, burnout e depressão no trabalho são diferentes.

Assim, é preciso ter cuidado com o auto diagnóstico, porque isso pode levar a tomar as medidas erradas.

Seria um erro, por exemplo, recomendar alguém com depressão para tirar férias ou passar mais tempo fora do trabalho.

Isso pode ajudar as pessoas que estão apenas exaustas do trabalho a se recuperarem, mas pode causar mais problemas para as pessoas com depressão, porque elas precisam de tipos muito diferentes de apoio, como a psicoterapia ou o tratamento com medicamento.

Algumas características do burnout são muito diferentes das da depressão no trabalho, no entanto.

Estes incluem alienação, especialmente do trabalho. Na depressão no trabalho, pensamentos e sentimentos negativos não são apenas sobre o trabalho, mas sobre todas as áreas da vida.

Outros sintomas típicos da depressão são:

  • falta de auto-estima
  • desesperança e
  • tendências suicidas

Estes não são considerados sintomas típicos de burnout. Portanto, nem todo caso de burnout terá depressão em sua raiz. Mas os sintomas de burnout podem aumentar o risco de alguém ter depressão.

Motivação no trabalho

A motivação no trabalho vai de encontro a negatividade, a fim de minimizar a tristeza no trabalho.

Quanto mais entusiasmado, maior as chances de desempenhar um bom trabalho. E na área de saúde esse conceito faz ainda mais sentido. Já que, uma atitude positiva na área da enfermagem, pode fazer a diferença na maneira como seus pacientes se sentem.

Tendo que lidar com a tristeza no trabalho em um centro médico
Tendo que lidar com a tristeza no trabalho em um centro médico

Isso os ajudará a sentir que estão sendo cuidados com respeito e sensibilidade. Uma atitude positiva pode ser contagiante.

E só é possível cultivar e passar esse sentimento de positividade, quando há motivação, e não, tristeza no trabalho.

A motivação no trabalho e atitudes positivas na enfermagem, afetam também o próprio desempenho no trabalho.

Desde lidar com fatores estressantes do trabalho, criar soluções criativas para problemas, gerenciar suas relações interpessoais com colegas de trabalho, ter um comportamento positivo é vantajoso em muitos níveis.

Tanto é que em uma pesquisa sobre produtividade e positividade, realizada pela Gallup, mostrou que cerca de 30%  das pessoas positivas produzem mais do que as infelizes ou indiferentes.

Ou seja, a tendência é ser mais produtivos e inclinar para fazer o melhor possível quando existe uma atitude positiva, mesmo em relação a tarefas indesejáveis.

Benefícios de uma atitude positiva e motivação no trabalho

A motivação no trabalho é retratada por meio de atitudes positivas. E uma atitude positiva pode ter um grande impacto na sua carreira e no seu sucesso, como:

  • Aumentar a probabilidade de um desempenho consistente e mais eficaz. Quando você executa o seu melhor, você é capaz de atingir o objetivo final em cuidados de saúde, ajudando seus pacientes a encontrar a cura e manter um estilo de vida saudável.
  • Reduzir acidentes ou incidentes não intencionais. Se você está de mau humor, ou com sentimento de tristeza no trabalho, há uma boa chance de que você esteja mentalmente distraído com o que está incomodando e talvez nem perceba isso.

Quando você não está focado, é mais provável que você dê menos do que o seu melhor cuidado. Isso pode provocar erros, ferimentos ou até mesmo acusações de que você não prestou os cuidados que o paciente esperava.

  • Ganhar uma boa reputação e progrida na sua carreira. Pessoas com boas atitudes são mais capazes de lidar com o estresse no trabalho e são mais construtivas na abordagem de situações difíceis.

Como superar a tristeza no trabalho

O primeiro passo para encontrar a solução de qualquer situação é identificar o problema. E, por isso, é importante enxergar a tristeza no trabalho como um problema a ser resolvido.

O sentimento deve, então, ser de busca por uma solução dessa tristeza, e não de acomodação com esse sentimento.

Mulher na busca de tratar a tristeza no trabalho
Mulher na busca de tratar a tristeza no trabalho

Talvez o melhor método para reduzir o estresse relacionado ao trabalho, no entanto, seja a adaptação do comportamento fora do trabalho.

Ao manter sua vida profissional e sua vida doméstica separadas e evitar mencionar questões de trabalho em casa, você pode relaxar mais facilmente quando estiver fora do emprego.

Um artigo do Sanford Brown College faz essa observação sobre o esgotamento do trabalho em enfermeiros. Em que diz “Mesmo a enfermeira mais forte que deposita muita devoção em seu trabalho enfrenta o risco da ‘fadiga da compaixão’”.

É fácil se envolver em cuidar dos outros e negligenciando suas necessidades. Mas cultivar um equilíbrio entre o trabalho e suas atividades pessoais ajudará você a se curar do esgotamento.

Exercer a profissão de enfermagem com dedicação, pode sim, provocar tristeza no trabalho, esgotamento e até depressão depressão relacionada ao trabalho de enfermagem.

Por isso, antes de cuidar e se dedicar ao outro, é preciso cuidar de si.  Afinal, nossos aspectos mentais, emocionais, físicos e sociais estão entrelaçados e interconectados, então o que afeta um aspecto de você influenciará todos os outros aspectos.

A maneira como você cuida do seu corpo tem um profundo efeito em seus pensamentos, suas emoções e seus relacionamento. Seus pensamentos afetam suas emoções e suas emoções afetam cada célula do seu corpo

Da mesma forma, os tipos e a natureza de seus relacionamentos afetam sua saúde física, saúde emocional, clareza mental e sensação de bem-estar.

Reserve um tempo para você

O bom cuidado de si para os enfermeiros inclui comer bem, dormir o suficiente, evitar substâncias nocivas e permanecer fisicamente ativo.

Mesmo que você passe o dia todo em pé, ainda assim seu corpo precisa de alguma atividade diferente.

Quando você está em estado de esgotamento, você está mais propenso a cometer erros, perder o foco e se sentir infeliz.

E esforços criativos podem melhorar seu humor, aumentar sua energia, impulsionar seu sistema imunológico, diminuir os níveis de estresse e fornecer uma distração positiva das coisas que estão pesando para baixo.

Encontre uma atividade para realizar, seja uma aula de pintura, música, caligrafia, aprenda coisas novas. Alguma atividade para explorar seu lado criativo e se reconectar com a alegria.

É preciso manter uma forte saúde mental e espiritual, se você quiser, seja meditação, yoga ou oração. O importante é reservar uma parte do dia para encontrar um momento de calma que pertença somente a você.

Você pode conseguir isso, através da leitura, da iniciação de um novo curso, ou um novo hobby. Afinal, a solução da tristeza no trabalho está, no desenvolvimento pessoal, no cuidado e dedicação com você mesmo.

Quando você não está comprometido com seu desenvolvimento pessoal e não preza pela autoconsciência, então, são esses os motivos de grande parte de seus problemas.

Mas, por outro lado, quando você está consciente de suas emoções e atitudes, você pode determinar quais áreas de desenvolvimento pessoal ajudarão a melhorar sua vida.

A dica final, para começar a dedicar mais tempo para você, é a leitura do livro Jornada da Liberdade. História inspiradora e cheia de gatilhos para você não passar mais por momentos de insatisfação e tristeza no trabalho.