Você já cuidou de alguém próximo em algum momento da sua vida, mas e de você, quando é que você cuida? Como está a sua vida? Às vezes é necessário parar e cuidar de nós mesmos. Isso porque as pessoas prestativas tendem a ser aquelas com dependência emocional mais alta.

Ou seja, as pessoas se dedicam aos outros e esquecem das próprias necessidades em função do sabotador prestativo. Esse sabotador é encontrado com mais frequência nas pessoas que trabalham na área de saúde e entre aqueles que precisam ajudar para se sentir amados.

Mas, eu já faço o alerto: se você tem o sabotador muito elevado, é preciso controla-lo para não impactar totalmente a sua vida. Mas, quem é esse prestativo?

Quem é o sabotador prestativo?

O prestativo é uma tentativa indireta de conseguir aceitação e atenção por de meio de ajuda e agrado as pessoas, buscando ser elogiado pelos outros para se sentir amado.

Muitas vezes, você perde a sua necessidade de vista e fica ressentido quando as pessoas não reconhecem o seu valor. Por isso, é preciso se certificar com frequência dessa aceitação e afeto das pessoas a sua volta.

O prestativo não consegue expressar as próprias necessidades de forma aberta e direta, e acaba deixando as pessoas se sentindo obrigadas a retribuir toda e qualquer ajuda. E quando essa retribuição não ocorre, ele se sente muito irritado e frustrado.

Quais os tipos de pensamentos frequentes em um prestativo?

  • Para ser uma pessoa boa, eu devo colocar as necessidades dos outros a frente das minhas;
  • Eu fico incomodado quando as pessoas não reparam no que eu faço para elas;
  • Eu dou muito e não recebo nada em troca;
  • As pessoas são ingratas;
  • Eu posso fazer pessoa gostar de mim;
  • Se eu salvar as pessoas, quem vai salvar?

Já deu para ver que a gente precisa ter muito cuidado com o prestativo, não é? Ele fica criando expectativa cima da ação das outras pessoas e isso faz com que a gente se sinta mal quando não acontece da forma desejada.

dependência emocional

Por isso, vale lembrar que a realidade é reflexo dos nossos pensamentos. Os nossos pensamentos constroem a realidade, de maneira positiva ou negativa. A gente precisa monitorar os nossos pensamentos para não viver no piloto automático.

Mentiras que o prestativo conta para justificar seu comportamento

“Eu não faço isso por mim, eu não faço espero nada em troca”

Até mesmo quando a gente está fazendo o bem, a gente faz para se sentir bem. Afinal, nós quase nunca nos preocupamos em perguntar para os outros se realmente estão precisando da nossa ajuda. De modo geral, a gente ajuda porque quer! O cenário se inverte quando a pessoa lhe pede algum tipo de auxílio.

“O mundo seria um lugar melhor, se todo mundo fizesse o que eu faço”

Essa é uma das principais mentiras que uma pessoas com dependência emocional conta para si mesmo e ainda acaba por colocar as necessidades em risco. Por exemplo: você já deixou a sua saúde financeira em apuros só por que alguém lhe pediu uma ajuda inesperada?

Isso é o prestativo entrando em ação, afetando as suas necessidades físicas, financeiras e emocionais para se sentir amado e aceito. Só que isso tende a acabar com um enorme ressentimento no peito.

Porque quando ele estiver em uma situação complicada, as pessoas que não possuem o prestativo alto não estarão tão preocupadas em lhe ajudar da mesma maneira. E ele ficará extremamente frustrado por ter auxiliado os outros no passado e não receber em troca.

Função do sabotador prestativo

A sua função inicial é ganhar atenção e aceitação dos outros. Normalmente, as pessoas com prestativo alto tiveram durante a infância uma necessidade de se sentir aceitos ou aprenderam que quando ajudavam as pessoas elogiavam. Isso significa que elas aprenderam que priorizam a necessidade dos outros é o melhor caminho!

dependência emocional

Só que ele não se aprende a ter um ponto de equilíbrio e compreendendo que tudo se baseia em uma via de mão dupla. Ou seja, essa pessoa entende que precisa conquistar esse sentimento e não se acha digna de ser amada e respeitada.

Basicamente, esse indivíduo pessoa sempre vai achar que precisa fazer algo para ser amado sem ter noção que o amor é incondicional. Amar e ser amado sem precisar satisfazer a qualquer condição.

Mas, como se livrar do sabotador e da dependência emocional?

É importante lembrar que somente o fato de estar ciente do sabotador e da dependência emocional já lhe ajuda a identificar e corrigir esse tipo de comportamento. Ao notar que o prestativo está agindo, você deve observar para assumir o controle da sua mente e interromper essas atitudes no momento da ação.

Pense em alguém que você conhece e não tem o prestativo alto e pense no que ela faria e agiria. Dessa maneira, você consegue gradativamente ir controlando e melhorando essa necessidade de se sentir útil e amado.

Uma boa comparação é quando você está viajando de avião e recebe as orientações de segurança a bordo. Inicialmente, você deve colocara sua máscara de respiração, não é? Porque se você não se salvar, quem fará isso? O mesmo cenário se repete com o prestativo.

Se você não cuidar das suas necessidades primeiro, como vai agir para ajudar o próximo? Antes de ajudar a terceiros, é preciso se ajudar e se observar para sanar as suas questões para não transferir aos outros o que deveria fazer por si mesmo. Faz sentido, não é?

dependência emocional

Além disso, é essencial também permitir que as pessoa evoluam por contra própria. Quando a gente toma conta de alguém de maneira excessiva, esse indivíduo tem a sua evolução limitada. Isso pode acontecer com pais, irmãos e pessoas próximas que acabam criando uma dependência emocional.

E quando essa pessoa não alcança a nossa expectativa, a gente transfere essa emoção negativa e gera muitos atritos ao relacionamento. Isso significa que gente atrai para a nossa vida exatamente aquilo que não quer e impede a pessoa de encontrar o seu próprio caminho.

Ajudar ou não ajudar?

No fim das contas, vale a pena ajudar ou não vale? Claro que vale! Você não só pode, como deve ajudar. Só que não necessita deixar o seu sentimento para trás, esse auxílio a amigos, familiares ou desconhecidos precisa ocorrer quando estiver se sentindo bem com isso.

Além disso, você precisa dizer não quando não estiver confortável ou não puder lidar com alguma situação. Não é para deixar de fazer algo que se planejou porque alguém lhe pediu para fazer alguma coisa. Simplesmente, você não deve deixar o sabotador lhe dominar.

Portanto, ajudar não é o problema. Isso faz muito bem! O que você não pode fazer é isso te traga emoções negativas e vá além do seu amor próprio. Então, inicialmente se ame incondicionalmente e depois se dedique a ajudar aos outros da maneira que puder.

Ficou com alguma dúvida sobre dependência emocional ou o sabotador? É só assistir novamente a aula em vídeo!