Passo a passo de como se tornar um empreendedor individual em 2018
Vote neste post

“Sou empreendedor individual”. Certamente já ouviu essa frase sendo proferida por uma ou algumas pessoas. Entretanto, não é incomum encontrar pessoas que não sabem exatamente o que é um empreendedor individual. E por mais incrível que pareça, existe empreendedor individual que não faz ideia sobre o que é empreendedor individual. Parece impossível?

Para entender essa afirmação, basta ver a quantidade de material dos que se dizem empreendedores individuais, que não faz o menor sentido. E pensando nisso, selecionamos o artigo de hoje, que vai trazer todas as informações para você que quer saber sobre ou até mesmo que quer se tornar um empreendedor individual. Informação é ouro, não é verdade?

Empreender é algo que exige conhecimento. A maneira de se obter esse conhecimento é através da leitura de conteúdo de qualidade que eduquem sobre o assunto, assistindo vídeos e participando de cursos ao mesmo tempo que conhece, no campo de batalha, os meandros no caminho do empreendedorismo. Afinal, na prática, a teoria ganha outras formas.

E ainda existem muitos pormenores na constituição que precisam ser levadas em consideração, para não se deparar com surpresas desagradáveis no caminho. Saber como se tornar um empreendedor individual inclui saber a qual grupo vai fazer parte. Tal como o enquadramento tributário. Até porque ninguém quer ficar em uma situação ilegal.

Um exemplo de conhecimento necessário é saber a diferença entre um empreendedor individual (EI) de um microempreendedor individual (MEI). Até porque, em ambas as categorias, existem uma porção de vantagens que precisam ser consideradas no momento de formalizar o seu negócio.

Por que ser um empreendedor individual?” “Será que vale à pena?” “Com o que terei que me preocupar à partir do momento que meu negócio fizer parte desse grupo?”

Se essas perguntas estão rondando sua cabeça, o conteúdo foi feito para você.

O que é empreendedor individual e o que é microempreendedor individual?

Apesar de nomes bem parecidos, as duas formas de trabalho são bem diferentes. Saber exatamente de qual “time” faz parte seu negócio, é fundamental para a escolha. Cada uma conta com suas particularidades e seus respectivos tipos de formalização. E também as leis específicas para cada uma delas.

As diferenças podem ir desde o faturamento até as atividades ideais para cada negócio. Cabe a cada empreendedor saber exatamente em qual tipo o negócio idealizado (ou já existente) se encaixa. Então sem mais delongas, vamos conhecer os detalhes e as diferenças entre o empreendedor individual (EI) e o microempreendedor individual (MEI).

O que é EI?

O também chamado empresário individual é aquele profissional que desempenha seu trabalho sozinho. Os ganhos podem chegar aos R$360 mil por ano para ser considerado ME – Microempresa. Já aqueles que contam com um faturamento de até R$3,6 milhões anualmente, são consideradas EPP – Empresa de Pequeno Porte.

O empreendedor individual realiza suas atividades como pessoa física (PF). O seu patrimônio é utilizado no negócio. Se vier a acontecer uma dívida, por exemplo, esse patrimônio poderá ser utilizado para o pagamento da mesma. Mas qualquer dúvida poderá ser sanada com um profissional contábil. Aliás, o ideal é sempre buscar uma opinião profissional.

Até porque o artigo 966 do Código Civil e o artigo 150 do Regulamento do Imposto de Renda apontam a obrigatoriedade do profissional empreender como EIRELI. Parece complicado, é verdade. Mas como se tornar um empreendedor individual sem estar consciente sobre o tema? Por isso a sugestão de sempre consultar um profissional do segmento da contabilidade.

O que é Eireli?

Quando a opção é essa, o profissional não terá que trabalhar com o seu patrimônio no caso de dívidas. O bem utilizado será o capital social que foi integralizado. A parte mais complicada é que o capital social é cerca de cem vezes maior que o salário mínimo. Mas sempre vale considerar que o patrimônio pessoal não estará em jogo.

Atualmente, no ano de 2018, o valor do EIRELI é de R$95.400,00. Integralização é o ato de transferir os bens ou finanças para o nome da empresa. Se a ideia é comprovar os bens no nome da empresa, você terá que colocar uma cláusula no contrato social da mesma. E quando for protocolar na Junta Comercial, será preciso listar quais itens se tornaram bens da empresa.

Então deverá ir até o órgão responsável por tais alterações de posse e concretizar. Mas como já falamos, o contabilista vai explicar tudo detalhadamente. O mais importante é ter consciência da responsabilidade. Caso a empresa venha a ter muitas dívidas ou até mesmo falir, é de suma importância saber o que é que vai acontecer.

O que é EPP?

Como começamos a falar um pouco acima, empresas que faturam R$3,6 milhões anualmente deverão ser registradas como EPP – Empresa de Pequeno Porte. No mais, os detalhes são muito parecidos com o EI. As duas podem, entre outras coisas, participar de licitações públicas. Ambas também não precisam contratar o Jovem Aprendiz.

O que é MEI?

Esta é uma opção rápida e fácil de formalizar um negócio próprio. A empresa precisa estar dentro de um faturamento de R$81 mil por ano. Não será necessário pagamento mediante faturamento, visto que o profissional vai realizar um pagamento de R$47,70. E claro que seu nome não poderá estar vinculado a nenhuma outra empresa. Nem mesmo como sócio.

Além disso, existem outros impedimentos que poderão complicar a formalização do trabalho:

  • Atividades como arquitetura, engenharia, consultoria, medicina, psicologia e TI não podem ser MEI;
  • Estrangeiros com visto provisório não poderão formalizar suas empresas como MEI;
  • Servidores públicos ou pensionistas deverão consultar as regras que poderão variar em estados e municípios diferentes;

Por que ser um empreendedor individual?

Não esqueça que ser empreendedor individual é diferente de ser microempreendedor individual. Por isso estamos deixando bem claro as duas situações. É comum as pessoas os confundirem. O empreendedor individual precisa que sua empresa tenha um faturamento máximo de R$360 mil anualmente como ME e R$3,6 milhões como EPP.

E claro que essa opção também oferece vantagens. Cabe ao empreendedor identificar qual a melhor opção para ele e para seu negócio. Mas sempre consulte um profissional da contabilidade para auxiliar o processo. Estamos repetindo isso constantemente pois a função do artigo é a de informar, e não a de substituir esses profissionais.

Vamos às vantagens:

  • Não é necessário um capital social mínimo, o que é excelente para quem vai iniciar sua empresa sem sócios;
  • O limite de faturamento do Simples Nacional atende à maior parte dos negócios nessa categoria;
  • Possibilidade de se enquadrar como Lucro Presumido;
  • Não precisa limitar a quantidade de funcionários;

Por que ser um microempreendedor individual?

Acima de tudo, estar legalizado traz um conforto emocional e psicológico muito grande. Além, é claro, de se manter dentro das leis. Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – houve, novamente, um aumento do trabalho informal no país. No terceiro trimestre do ano passado, o aumento foi de 2,7% em relação ao segundo trimestre do mesmo ano.

empreendedor individual  1
Passo a passo de como se tornar um empreendedor individual em 2018

Quando a comparação é feita com o terceiro trimestre de 2016, o aumento observado é de 5,4%. Essa é uma notícia excelente, pois mostra que o brasileiro está indo à luta diante dos momentos de crise política. Hoje em dia, são mais de 7,6 milhões de microempresas trabalhando a todo vapor, gerando renda e qualidade de vida para os empreendedores.

Entre as classes, é possível encontrar:

  • Artesãos;
  • Chocolateiros;
  • Manicures;
  • Boleiros;
  • Depiladoras;
  • Pintores;
  • Cuidador de animais;
  • Diaristas;
  • Artistas, entre muitos outros;

Na realidade, são mais de 500 profissões registradas como MEI no Brasil. Apesar de não poder ter o nome vinculado à outras empresas, nem mesmo como sócio, o empreendedor pode ter um funcionário contratado. A vencedora do estado de São Paulo do Prêmio Mulher de Negócios 2017, e terceiro lugar na premiação nacional, aponta algumas vantagens:

“Tudo fica mais fácil, como abrir ou pegar crédito em banco, oferecer notas fiscais para os clientes e até mesmo contratar uma funcionária.” Para este ano, Jordana quer contratar uma costureira para o negócio e sabe que como MEI isso é possível.” Mas é claro que separamos para você as principais vantagens em legalizar o seu negócio:

  • Cobertura previdenciária do INSS;
  • Emissão de notas fiscais;
  • Abrir conta empresarial e acesso à linhas de crédito específicas;
  • Participar de licitações públicas;
  • Não existe taxa de registro;
  • Cobrança menor dos tributos;
  • Controles simplificados;
  • Acesso a serviços gratuitos;
  • Segurança jurídica para desempenhar seu negócio;

Mas afinal, por que empreender?

Agora que você entendeu o que é um empreendedor individual, talvez esteja se perguntando se vale à pena investir. Realmente a burocracia, quando encarada em forma escrita, chega a desanimar. Mas não esqueça que sempre poderá contar com um profissional para auxiliá-lo e explicar detalhadamente todo o passo a passo.

O que precisa mesmo ser considerado, é o que significa empreender. O que essa modalidade vai trazer para a sua vida. As possibilidades que o segmento escolhido, oferecem. O empreendedor precisa se manter sempre antenado. Sobretudo quanto à área de atuação escolhida. Para tal, é claro que existe a internet para dar um bom apoio.

É preciso apenas ter um olho clínico para não cair em ciladas. São muitas oportunidades de negócios da China pela internet e até mesmo de maneira pessoal. Desconfie de pessoas e empresas que oferecem muitas facilidades e pouco trabalho. Se quer saber, essa é outra dica fundamental para quem busca aprender como se tornar um empreendedor individual.

Sendo assim, procure sempre manter um planejamento e siga firme. Sempre tenha em mente que empreender é trabalhar com força de vontade e dedicação. Não adianta nada querer tirar as ideias do papel sem estar muito disposto. O grande mal de algumas pessoas é querer passar adiante a ideia de que empreender é viver de sombra e água fresca.

Vantagens em empreender

Por que ser um empreendedor individual, então? Será necessário trabalhar muito? Sim, claro. Mas imagine poder trabalhar em seus horários de maior produtividade. Ou então, trabalhar sem ser escravo do relógio. Trabalhar sem ter como objetivo bater metas para enriquecer terceiros. Aumentar ganhos sem precisar de hora extra.

Essas são apenas algumas das vantagens em empreender. Veja bem. Se quisermos manter a saúde física, mental e sempre melhorar a qualidade de vida, é preciso seguir à risca algumas coisas. Por exemplo, oito horas de sono são ideais. O corpo reorganiza suas funcionalidades, descansa o suficiente para se manter ativo no próximo dia. Mas não é só isso.

Uma empresa vai exigir, ao menos, oito horas diárias. Depois é preciso se alimentar bem, com comidas leves e dentro dos horários corretos. É preciso comer frutas, realizar ao menos 30 minutos de atividade física diariamente e tomar bastante água. Ao menos dois litros por dia.

Descontando as horas de sono e horas dormindo, restam oito horas. Oito horas para fazer tudo isso citado acima, e ainda o tempo perdido no trânsito. Também para estudar (em muitos casos), se aperfeiçoar em sua carreira e participar de uma possível reunião. Precisa arrumar a casa, passar um tempo de qualidade com as crianças e dar atenção à esposa.

Ficou cansado só de ler? Pois essa é a realidade da grande maioria da população. Como empreendedor individual, você vai fazer os seus horários. Você vai dividir o tempo do seu dia da maneira que melhor atender às necessidades. Isto é, a melhor maneira de conciliar tudo da melhor forma possível. Sem contar que existem técnicas que otimizam o tempo de trabalho.

Por exemplo, olha esse vídeo do Fagner Borges, criador do movimento Freesider, onde ele ensina fazer com que seu dia de trabalho pode se resumir a três horas de produção. Duvida? Então assiste.

Conclusão

Não tenha medo de se tornar um empreendedor individual. Existe uma gama de profissionais dispostos a ajudar e a oferecer suas melhores dicas. Esse é um mercado que tem como característica, as parcerias e oportunidades. Como é o caso do ebook oferecido gratuitamente pelo Fagner Borges “Como ganhar dinheiro enquanto viaja pelo mundo”.

Você vai encontrar dicas incríveis para fazer seu negócio acontecer e, quem sabe, enquanto viaja pelo mundo e desfruta merecidamente sua vida.