Há duas coisas que se sabe sobre viagem de negócio: a primeira é que é chata; a segunda é que viagem de negócio é diferente de viagem a lazer.

Uma nada tem a ver com a outra, são praticamente o oposto uma da outra. Uma é pra descanso; a outra é pra trabalho. Será mesmo? Será que o espírito de empreendedorismo não se revela mais ousado em viagem de negócio?

Viagem de negócio pode ser grande negócio de lazer

Uma viagem de negócio é momento único para intensificar seu espírito empreendedor, ainda você já tenha sobrevivido a muitas delas. Aliás, viagens de negócio e ou viagem a lazer… sim… lazer… são momentos para isso.

A ideia de que a primeira é sem dúvida estafante e a segunda, sem dúvida desestressante pode ser contra-argumentada em nosso texto Viajar é Preciso – descubra a viagem dos sonhos e aproveite. É possível se estressar em viagem de lazer e se divertir em viagem de negócio. Para aproveitar ao máximo uma viagem de negócio, basta apenas que você tenha …

Presença de espírito empreendedor

E o que é presença de espírito? Bem… dizem que é a capacidade de lidar – com bom humor ou não – com situações inusitadas e repentinas, dessas que pegam a gente de surpresa.

Como o caso da funcionária da empresa aérea Gol:

“Um voo foi cancelada. Uma única funcionária da empresa atendia a uma fila enorme. Um senhor enfurecido passou adiante de todos e jogou seu bilhete no balcão, dizendo que precisava estar naquele voo. A funcionária respondeu educadamente que o atenderia tão logo atendesse a todos da filha. Mais enfurecido ainda, o cliente perguntou a plenos pulmões se ela sabia quem ele era.

Sorrindo, a atendente apanhou o microfone do alto-falante e pediu atenção de todos. Comunicou que havia um senhor no balcão que provavelmente havia perdido a memória e não sabia quem era. Se houvesse algum parente dele no recinto ou alguém que pudesse ajudar, que comparecesse no balcão da empresa.

Claro que todos à volta gargalharam. O homem, ainda mais descontrolado, disse que iria acabar com a vida dela. Ela respondeu então que, mesmo para isso, deveria entrar na fila, pois todos nela queriam fazer o mesmo.

O que isso tem a ver com espírito empreendedor é justamente a expertise para reverter situações ruins em outra que funcione como início de novos negócio.

Viagem de negócio escondem grandes oportunidades

Um casal muito interessante

“O casal Trabalho – João e sua esposa, Maria – são proprietários de pequena loja de artesanato na cidade de Laborolândia. Estavam em viagem de negócio no município de Oportunity City. Haviam marcado almoço com cliente em potencial e resolveram se hospedar em hotel próximo ao restaurante.

Assim que chegaram à cidade, contrataram serviço de operadora de celular local. No saguão do hotel, ‘esqueceram’ alguns panfletos com imagens de seus trabalhos no balcão; acabaram ‘esquecendo’ outros também no elevador.

Passaram a manhã telefonando para diversos outros possíveis clientes da região. À hora do almoço, já no restaurante, acomodaram-se em mesa próxima à entrada, sobre a qual deixaram mais panfletos bem à vista de todos que entravam ou saíam. Pelo menos três clientes do restaurante perguntaram se podiam levar um na primeira meia hora em que estavam ali.

Ocorre que o cliente com quem almoçariam não chegava; o casal Trabalho ficou satisfeito com isso porque puderam manter os panfletos à vista por mais tempo e mais quatro pessoas levaram outros.

O cliente do casal Trabalho ligou, dizendo que não poderia comparecer. O casal manteve sorriso na voz ao telefone, tranquilizando o cliente – que ficasse para o dia seguinte. Enquanto almoçavam, o casal analisava a postura de todos a sua volta.

Em poucos minutos, João Trabalho identificou pelo menos três negociantes e Maria Trabalho, quatro lojistas interessantes. Cada um do casal se dirigiu a seus alvos e foi ‘lamentar profundamente’ que seu cliente não pudesse ter comparecido. Conversaram, criaram clima agradável e Maria Trabalho voltou com dois pedidos de venda e João, com um.

Depois do almoço produtivo, procuraram conhecer lojistas de suas atividades a fim de buscar inspiração; depois, buscaram alguma forma de entretenimento para passar o resto da tarde e noite. Ambos se divertiram muito, descansaram e se prepararam para o almoço do dia seguinte. Estavam completamente seguros de que conseguiriam excelente negociações com o cliente.”

Ei! Já que estamos falando de negócios, deixa eu te mostrar alguns artigos bem interessantes sobre negócios online…

1 – Programa de afiliados: como ganhar dinheiro com ele

2 – 10 dicas para ganhar dinheiro como infoprodutor em 2017

3 – Como ganhar dinheiro com blog por visitas

Viagem de negócio é sempre chata

Nem sempre, nem todas e nem pode ser vista assim. Como a gente viu na estorinha do “Casal Trabalho”, uma viagem de negócio só pode ser chata se você permitir que seja.

Empecilhos e contratempos acontecem em qualquer situação. A maneira como você lida com eles é o diferencial entre eles terem sucesso ou não em atrapalhar suas atividades.

  • Bom humor – você não precisa rir de tudo a sua volta – sob risco de parecer abobalhado –, mas pode certamente encontrar alguma coisa engraçado em pequenos contratempos
Bom humor pode ser diferencial em viagem de negócio
  • Presença de Espírito – nem sempre você vai poder agir como a funcionária da Gol, mas pode sempre agir como o casal Trabalho
  • Planejar não é destino – lembre-se de que você pode planejar situações e planejamento envolve previsão de percalços. Mas isso não significa que você vai controlar todas as circunstâncias que envolvem as situações
  • Analise eventuais concorrentes – seja para onde for sua viagem de negócio, sempre há concorrentes que possam ter algum produto ou serviço inspirador. Visite-os nos horários disponíveis

O que levar em viagem de negócio

Temos o hábito de dizer em nossas palestras que a diferença forte entre viagem de negócio e viagem de lazer é a mala: na de negócio, você pode colocar objetos de lazer; na de lazer, não é saudável colocar objetos de trabalho.

Assim, verifique o que há para aproveitar no local destino de sua viagem. Pode ser que você não tenha tempo, mas nunca se sabe. Quanto à parte de negócio, vamos ver o que é sempre bom levar na mala.

Relatórios extras – além do que seu cliente pediu, leve relatórios que orbitam o assunto da discussão. Acrescente informações relevantes e imagens impactantes. Mesmo que não use, mantenha à vista do cliente durante todo o tempo.

Utensílios lógicos – Caneta, papel, agenda etc. Vivemos em civilização virtual – tudo pode ser feito, anotado e mostrado via celular, tablete ou notebook. Mas problemas acontecem: bateria, travamento, operadora incompetente etc.

Relatórios impressos – Lembramos novamente que vivemos a virtualidade em negócio, mas empecilhos acontecem a toda hora. Leve impressos os relatórios, diários, imagens, mapas, demonstrativos etc. que estão em seu computador. Na falta deste…

Documentos pessoais – Se sua viagem for nacional, leve apenas cópias autenticadas, nunca originais. Se for internacional, leve apenas originais que não possam ser substituídos por cópias, como passaporte. Dá uma olhada nesse vídeo bem engraçado sobre esse assunto…

Material publicitário – ainda que a reunião não comporte ação de marketing, nunca se sabe quando se vai precisar dela. A estória do casal Trabalho mostra isso muito bem

E você? Já teve experiência em viagem de negócio? Se teve, sentiu falta de algo que tenha deixado de levar? Deixe seus comentários.

Deixando portas abertas

Seja qual for o resultado da viagem de negócio, é sempre possível deixar mais portas abertas no local do que as que encontrou ao chegar lá. Isso é conseguido com simpatia, perspicácia, visão de negócio.

O casal Trabalho é exemplo disso. Detalhes aparentemente sem importância se tornaram cruciais a partir do comportamento de ambos. Situações que poderiam ser encaradas como triviais foram transformadas em oportunidade negócio.

Entretenimento e negócios podem estar presentes na mesma viagem. Aliás, um não exclui o outro. Durante momento de lazer em viagens a trabalho, negócios espontâneos podem surgir do nada. A visão de oportunidade é o meio para se chegar a eles.

Aproveite e divirta-se

Depois de sua reunião durante a viagem de negócio, aproveite e divirta-se… fazendo mais negócios. Visite locais de diversão em que você possa falar de suas atividades, mostrar seu empreendimento, conquistar novos clientes e contatos.

Ou seja: viagem de negócio são excelente momento para criar network. Nós vamos conversar muito sobre network em nossos próximos textos.

Bons negócios e boa diversão!