5 (100%) 1 vote

Depressão é uma doença que pode ser causada por diversos fatores. Perdas de pessoas próximas, bullying ou chantagem emocional, doenças graves, alterações hormonais, uso de medicamento e muitas outras situações podem criar um terreno fértil para a depressão.

O estresse de uma rotina com muito trabalho pode ser um desses fatores que geram condições para que a depressão apareça. Por isso, é importante saber reconhecer quando o trabalho está tomando muito tempo e, ainda mais importante, quando está prejudicando a sua saúde.

Além disso, também vou dar algumas dicas de exercícios de relaxamento que podem auxiliar na prevenção e combate à depressão. Mas sempre lembrando que o primeiro passo do tratamento é buscar médicos e psicólogos que possam ajudar. Vamos lá!

Homem começando a sentir os sintomas de depressão no trabalho
Homem começando a sentir os sintomas de depressão no trabalho

Como reconhecer a depressão?

Depressão é o transtorno psicológico mais comum que existe. Por esse motivo, é também um dos alvos “preferidos” de pesquisas, campanhas de prevenção e tratamento. Porém, apesar de ser uma doença que tem tratamento, existem alguns fatores que dificultam o acesso dos pacientes antes mesmo de receberem o diagnóstico.

Preconceito e falta de informação são dois dos principais fatores que impedem as pessoas de procurarem ajuda.  Por isso, é indicado procurar um profissional (médico ou psicólogo) quando os sintomas durarem por mais de 2 semanas e a pessoa não conseguir se livrar deles sozinha. Estes são alguns dos sintomas da depressão:

  • Apatia
  • Dificuldade de concentração
  • Medos que antes não existiam
  • Pessimismo
  • Tristeza
  • Choro constante
  • Insegurança
  • Insônia
  • Ansiedade
  • Angústia

E muitos outros sintomas que podem ser comportamentais ou físicos. Dores de barriga, má digestão, azia e dores de cabeça que não têm explicação são alguns dos sintomas físicos que podem indicar depressão.

Diagnóstico e tratamento

É comum se sentir triste, chateado ou infeliz em determinadas situações das nossas vidas. Mas é necessário estar atento quando essas sensações permanecem por muito tempo, até mesmo por anos. Esse quadro pode interferir no trabalho, nos relacionamentos e nas atividades básicas da rotina.

Além disso, o não tratamento da doença pode gerar evolução para algo mais grave, como o suicídio. Por isso, é extremamente recomendado que o paciente busque ajuda o mais breve possível.

Só com o acompanhamento profissional será possível identificar as causas e qual o melhor tratamento. O psicólogo irá fazer uma avaliação e indicar caminhos para aliviar os sintomas, enquanto só o médico psiquiatra poderá indicar medicamentos como antidepressivos.

Buscando ajuda

Para economizar tempo e facilitar o diagnóstico, é possível adiantar algumas questões que certamente serão levantadas pelo médico. Faça uma lista com essas informações e leve para a sua consulta:

  • Quais os sintomas e quando eles surgiram?
  • Histórico médico (quais remédios ou suplementos você toma ou outras condições médicas que você tem)
  • Peça a algum amigo ou parente para te acompanhar

O diagnóstico será feito com a análise dessas e algumas outras informações no momento da consulta. O médico irá avaliar como o paciente se apresenta fisicamente e emocionalmente, além de uma curta análise do histórico familiar da vida do paciente.

Também será feita a classificação da doença em algum dos três níveis: leve, moderada ou grave.

O tratamento

Assim como existem diversos tipos de depressão, também existem muitas formas de tratamento. Em alguns casos, podem ser indicados medicamentos antidepressivos, que são muito efetivos. Existem mais de 30 antidepressivos disponíveis no mercado, que impedem o agravamento da doença. Além disso, são medicamentos que não causam dependência por ser uma terapia simples.

Em outros casos, podem ser indicados tratamentos de manutenção e prevenção. Nesses casos, as ações podem durar meses e até anos, afim de evitar que apareçam novos episódios de depressão. Para alguns pacientes, essas medidas podem ajudar, mas não impedem a volta da depressão e muito menos levam à cura da doença.

Tratamentos alternativos

Algumas ações podem ajudar o tratamento clínico da depressão, ajudando o paciente a retomar a rotina e ter mais disposição para novas atividades.

Exercícios físicos

A prática de exercícios físicos, por exemplo, é muito indicado para casos de depressão. Pelo lado social, as atividades físicas proporcionam distração e convívio social, tirando a pessoa do isolamento e passando a ter uma rotina mais ativa. Por outro lado, o ato de exercitar libera substâncias como enforfina e serotonina, que causam sensação de prazer e bem-estar. Alguns minutos de atividades físicas regulares já são capazes de aliviar alguns sintomas de depressão e melhorar o humor de um paciente.

Pessoa fazendo caminhada com intuito de tratar a depressão
Pessoa fazendo caminhada com intuito de tratar a depressão

Boa alimentação

Outra prática auxiliar para aliviar os sintomas da depressão é a alimentação balanceada. Essa é uma doença causada também por questões físicas, por isso, manter uma boa alimentação é importante. Além de ajudar na prevenção, auxilia também no tratamento.

Evite bebidas alcoólicas

O início do consumo de álcool dura pouco e, depois que passa, tudo volta ao normal. Por isso, o paciente sente mais vontade de consumir novas bebidas, o que pode gerar dependência e vício. O melhor é evitar o consumo durante o tratamento, mantendo a sobriedade e fugindo de mais uma complicação como o alcoolismo.

Mantenha a rotina

Para uma pessoa com caso de depressão, é difícil manter a animação para as atividades do dia a dia. O sentimento de desânimo e falta de empolgação atrapalham a continuar cumprindo com compromissos que antes eram simples. Por isso, é necessário se organizar, se necessário com uma agenda, para manter a rotina. Mesmo sendo difícil, é importante manter a rotina, não caindo no isolamento.

Livre-se do excesso de trabalho

Já é de conhecimento popular que excesso de trabalho causa diversas doenças e mal-estar. Por isso, é muito importante encontrar maneiras de evitar uma rotina de trabalho cansativa e desgastante. Todos nós precisamos trabalhar quase todos os dias e isso é uma condição para realizarmos sonhos e conquistarmos uma vida melhor. Mas imagine se isso se transformasse em uma condição prejudicial à sua saúde?

Trabalhar com o que gostamos é muito importante para que a relação profissional seja benéfica. Além disso, é necessário se organizar para que o trabalho tenha um espaço reservado na sua rotina, sem interferir em outros compromissos, nos seus relacionamentos e, principalmente, na sua saúde.

Excesso de trabalho pode se tornar um terreno fértil para diversas doenças causadas pelo estresse e pressão. E até doenças como depressão. Por isso, encontre novas maneiras de se relacionar com o trabalho, sempre mantendo uma relação saudável e que valoriza o seu bem-estar.

A música como terapia

Entre muitas alternativas para o tratamento da depressão, a música pode ser uma ótima opção. Além da música comum, como ouvimos nos discos e rádios, existem muitas outras formas de expressão através da música que auxiliam no tratamento.

Assim como é comum criarmos playlists para correr, dirigir, cozinhar, tomar banho, trabalhar, etc. Também é possível utilizar a música e os sons para relaxar, causar uma sensação de bem-estar e até gerar motivação. Por isso, esse tipo de terapia é tão importante e tão eficaz. Afinal, todos nós estamos familiarizados com as músicas e já possuímos conexão com artistas e estilos musicais que nos representam.

Um estudo da Queen’s University Belfast, da Irlanda do Norte, constatou que a terapia com música reduz drasticamente sintomas de depressão em crianças e adolescentes. A música libera dopamina no cérebro, a substância responsável pela sensação de bem-estar.

Também ficou conhecido que os sons mais graves e lentos combatem insônia e agitação, pois acalmam e tranquilizam. Já as batidas mais animados e acelerados ajudam a despertar.

 

Mulher escutando música, um dos melhores tratamentos para depressão
Mulher escutando música, um dos melhores tratamentos para depressão

Os benefícios da música

Diminui o estresse

As músicas estimulam emoções positivas, gerando diminuição no estresse.

Aumenta a criatividade

Ouvir músicas estimula o pensamento mais abstrato e nos faz pensar de forma mais criativa.

Desenvolve a memória

A música estimula a memória, principalmente, das pessoas que tocam instrumentos. Os músicos costumam ter uma memória mais ativa do que as pessoas que nunca aprenderam a tocar algum instrumento.

Batidas binaurais

Em 1839, o cientista alemão Heinrich Wilheim Dove descobriu alguns sons que podem causas alterações no comportamento cerebral. O que ele descobriu são as Batidas Binaurais: sinais de duas frequências diferentes que são colocadas em cada um dos ouvidos. Ou seja, sons diferentes são emitidos, um pra cada ouvido.

Com essa união de sons, o cérebro tenta equilibrar as ondas sincronizando o funcionamento dos hemisférios esquerdo e direito. Esse processo de sincronização resulta em muitos ganhos terapêuticos. De acordo com alguns profissionais, esses sons são capazes de acessar o subconsciente.

As combinações dessas batidas e ruídos causam um estado de frenesi mental, capaz de gerar aquietação completa da mente, muitas vezes levando a um sono profundo.

Onde ouvir Batidas Binaurais

Hoje em dia, é possível encontrar todo tipo de Batidas Binaurais através do Youtube. Uma pesquisa rápida te  levará a um resultado muito rico em opções como Ansiedade e Estresse, Relaxamento, Ruído Branco Celestial (Para dormir melhor, reduzir estresse, acalmar a mente e aprimorar concentração) e até Para os Estudos. Se você souber pesquisar em inglês, as opções aumentam ainda mais. Eu recomendo pesquisar por Binaural Beats. Em apenas um clique você encontrará o som perfeito para o que você precisa.

É importante ressaltar que grande parte desses vídeos disponíveis no Youtube tem longa duração, tendo de 3 até 10 horas. Por isso, é recomendado ouvir durante um longo momento de relaxamento e descanso. É bastante indicado para relaxar após um longo dia de trabalho. Aqui estão algumas indicações:

Os vídeo de ASMR

Insônia é um problema que afeta boa parte da população. Quando estamos muito focados no trabalho ou quando trabalhamos demais é comum sentirmos dificuldades para dormir quando chegamos em casa. Por isso, pode ser necessário ter algum plano B na hora de cair no sono.

Afinal, ninguém quer passar a noite em branco e nem sempre é recomendado tomar remédios para dormir. Só devemos usar medicamentos com ordem médica. Sendo assim, é importante encontrar novos recursos que nos ajudem a relaxar e levar ao sono. Foi assim que surgiu um grande fenômeno: os vídeos de ASMR.

ASMR é a sigla para Autonomous Sensory Meridian Response – Resposta Sensorial Autônoma do Meridiano, em português. Mas você deve estar se perguntando o que isso significa, né? ASMR nada mais é do que uma sensação prazerosa causada por vídeos que associam sons de objetos, vozes baixas e calmas, sons da boca e muito mais.

Para cada pessoa os vídeos ASMR funcionam de determinada maneira, cada um deve encontrar o que funciona melhor para si. Mas é importante lembrar que o ASMR não é capaz de curar casos de insônia, seja a doença em si ou associada a casos de depressão ou outras causas.

Fazendo o que você gosta, os seus sonhos estarão mais perto de se tornarem realidade!