Belezas e mistérios. Cultura e gastronomia. Espiritualidade e autoconhecimento. São tantos os encantamentos que rondam esse destino que será impossível você não querer fazer um mochilão na Indonésia.

Belezas e mistérios? Cultura e gastronomia? Espiritualidade e autoconhecimento? Tudo isso e muito mais bem aqui…

Curioso para saber tudo sobre esse lugar incrível e ao mesmo tempo ansioso para querer ir para lá? Então, aqui está o conteúdo que te deixará ainda mais insano por esse país. Vamos nessa?

Porque fazer um mochilão na Indonésia?

Um bom planejamento do ano inclui, sem dúvidas, a programação e os roteiros de viagens que faremos ao longo dele. Desde a escolha dos destinos, orçamento disponível, cotação das passagens aéreas, hotéis e passeios.

Com a crise político-econômica que estamos enfrentando e a desvalorização da nossa moeda (o Real), destinos mais comuns, como os EUA e muitos países da Europa, tornaram-se menos acessíveis.

Por outro lado, outras cidades ao redor do mundo, com propostas exóticas de entretenimento, conhecimento e cultura, custos não tão altos com hotéis e alimentação e que muitas vezes, parecem estar muito distantes do nosso território, surgem como uma opção inusitada. Por isso vamos colocar nossa mochila nas costas e partir rumo ao nosso mochilão na Indonésia.

O que esperar de um mochilão na Indonésia?

Como todo viajante expert, vamos começar com algumas informações básicas e importantes sobre o país. A Indonésia é um arquipélago – o maior do planeta, com aproximadamente 18 mil ilhas – que fica localizado entre o sudeste asiático e a Austrália.

Entre as principais ilhas da Indonésia estão Java, Sumatra, Bornéu, Timo e Bali, a mais famosa e visitada delas, é apenas um pedaço desse paraíso, que faz fronteiras terrestres com a Malásia, Timor-Leste e Papua-Nova Guiné.

Também temos as marítimas com as Filipinas, novamente a Malásia, Singapura, Palau, Austrália e Índia. Todas essas intersecções fazem da Indonésia uma nação transcontinental.

A Indonésia é um arquipélago – o maior do planeta, com aproximadamente 18 mil ilhas.

É uma república, com legislação e presidente, mas já foi colonizada pelos Holandeses por três séculos e meio, tornando-se independente após a 2ª Guerra Mundial.

Tem uma população de aproximadamente 250 milhões de habitantes, sendo o 4º país mais populoso do mundo. A Indonésia tem um clima bastante uniforme durante o ano.

Não há quatro estações do ano, mas duas épocas: a da seca (maio a setembro) e a das chuvas (outubro a abril).

Para programar seu mochilão na Indonésia, atente-se para os festivais indonésios, que têm mais importância na definição do calendário.

O visto, ou melhor, a permissão com validade de 30 dias, é obtida na chegado ao aeroporto, mediante apresentação das passagens e do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela.

Outra opção é requerê-lo ainda no Brasil, na Embaixada da Indonésia, em Brasília. O visto Indonésio é pago. A moeda local é a Rúpia Indonésia (IDR).

O que preciso saber para um mochilão na Indonésia.

Antes de começar a planear uma viagem de mochilão na Indonésia vamos deixar uma coisa bem clara… A Indonésia é enorme.

Seu tamanho é mais uma reminiscência de um continente do que um país e, embora ele ainda é classificado como parte do Sudeste Asiático, este vasto conjunto de ilhas é um mundo de distância da trilha padrão de mochileiros do Sudeste Asiático.

Com isso criamos um roteiro que te levará por lugares paradisíacos, populares e com segredos ainda não explorados.

Bali parada obrigatória de um mochilão na Indonésia

O nosso roteiro começa em Java, o coração da nação, antes de ir para leste, até as ilhas de Bali, Lombok e Flores.

Ele inclui templos antigos e vulcões em Java antes de experimentar as belas praias, uma grande vida noturna e próspera cultura hindu de Bali.

Depois disso, as coisas ficam mais relaxadas na preguiçosa Ilhas Gili e Lombok antes de se do encontro com os famosos dragões de Komodo e crateras vulcânicas na Flores.

 – TEMPO NECESSÁRIO

5-6 semanas

Poderia ser feito em um mês ou menos, se você não quer gastar muito tempo nas praias de Bali / Ilhas Gili.

 – ORÇAMENTO POSSÍVEL

£ 600 € 750 $ 1.000

Nota – Os números não incluem custo de voos, nem outras despesas pré-viagem como a obtenção de seguro de viagem.

Jacarta

Depois que você curtir bons momentos nos templos antigos e vulcões em Java, hora de ir à capital da Indonésia, que essa é uma verdadeira megacidade. Não vale a pena ficar muito mais do que um dia ou dois. A capital possui muitos museus importantes, onde pode aprender sobre a história e a cultura local.

Noite de Jacarta

Ao contrário de outros destinos na rota, a cidade atrai poucos turistas que significa que são susceptíveis de ser uma espécie de fascínio para os habitantes locais.

Ela também possui provavelmente a noite mais barulhenta no mundo islâmico com grandes clubes noturnos funcionando 24 horas.

Dieng Plateau

A 2.000 metros acima do nível do mar, o Planalto é muito mais frio e o cenário inclui alguns lagos misteriosos, fontes termais, bem como templos que oferecem uma visão sobre a religião javanesa.

Wonosobo é a principal cidade no Planalto e de lá podem ser feitas viagens guiadas baratas ou você pode alugar uma moto fazer o passeio sozinho.

Yogyakarta

Jogja, como os moradores chamam, é em muitos aspectos, a capital cultural do Java. Uma cidade viva com uma cena artística próspera ideal para turistas que desejam desbravar e encontrar novidades.

O vasto palácio conhecido como o Complexo Kraton é a casa do fabulo Sri Sultan Hamengkubuwono e é a principal atração na cidade.

As razões pelas quais Jogja tornou-se ponto de parada obrigatória para um mochilão na Indonésia são os templos de Borobudur e Prambanan que estão facilmente entre as mais espetaculares de todo o Sudeste Asiático.

Um ponto de parada popular na longa viagem de Yogyakarta para Bali. Java é uma ilha cheia de vulcões altamente ativos e Mounts Bromo e Semeru são dois dos mais acessíveis. Ambos os vulcões expelem constantemente vapor e fumaça com grandes erupções.

A paisagem é espetacular!

Há bons alojamentos em torno do parque e um lugar indicado para ficar é Cemoro Lawang ou Wonokitri. Acampar é possível dentro do parque, mas faz bastante frio a noite.

Antes que você vá aproveitar o próximo tópico de nosso conteúdo, permita-nos te apresentar mais alguns artigos bem interessantes em nosso blog:

1 – Tudo o que você precisa saber para fazer um mochilão na patagônia argentina em 2017

2 – 7 dicas de como ser um mochileiro na Oceania

3 – Os melhores e mais incríveis destinos para mochileiros no Brasil

ILHA DE JAVA para Bali

Saindo do parque nacional segue para Banyuwangi na ponta oriental de Java. Este porto tem embarcações para Gilmanuk em Bali, que partem a cada 20 minutos, 24 horas por dia.

A travessia de balsa leva cerca de meia hora e custa por volta 6,000Rp. Há pouca coisa a fazer em Gilmanuk, então é só pegar o ônibus e partir rumo a Bali.

Bali

Bali é uma ilha relativamente pequena e você pode chegar a qualquer ponto no espaço de duas ou três horas, no entanto você pode acabar passando semanas na ilha. A maioria dos viajantes opta pela praia de Kuta, mas Bali é muito mais que isso.

Bali é uma ilha relativamente pequena e você pode chegar a qualquer ponto no espaço de duas ou três horas.

Existem inúmeras vilas de pescadores e praias tranquilas. É possível fazer mergulho e snorkeling em Nusa Lembongan, uma bela pequena ilha ao lado da costa de Bali.

Embora a maioria dos estrangeiros pense em Bali como um destino de praia, a região central é realmente o coração cultural e onde a maioria da ação acontece para os moradores.

Ao contrário de outras partes do país, Bali é dominado pela cultura e costumes  hindu e há fascinantes mercados, lojas de artesanato, templos e museus para visitar nas cidades e aldeias montanhosas.

BALI para Lombok

Serviços rápidos de barcos regulares saem a partir de Benoa, Serangan Island, Padang Bai e Amed em Bali para as Ilhas Gili. Se você não quiser visitar o Gili os barcos seguem rumo à costa de Lombok.

Ilhas Gili

As ilhas Gili são pequenas e mais tranquilas, o que aparece como um grande contraste comparado a Bali. Essas ilhas tem sido um enorme sucesso com mochileiros desde o início de 1990 e continua a atrair um fluxo constante de viajantes de baixo orçamento.

As praias tranquilas e baías de Lombok são o retiro perfeito para os amantes de surf.

O mergulho é popular no Gili e um lugar onde você pode curtir de tudo com liberdade. As praias tranquilas e baías de Lombok são o retiro perfeito para os amantes de surf.

LOMBOK para Flores

Entre Lombok e Flores fica a ilha de Sumbawa, que é muito remota e recebe muito poucos visitantes. Uma empresa chamada Perana faz a viagem de Lombok para Flores e inclui algumas paradas turísticas, incluindo o Parque Nacional de Komodo. E a viagem dura 2 ou 3 dias.

Como alternativa você pode apanhar um ferry para Sumbawa e um ônibus para o outro lado da ilha e do porto de Sapé que tem embarcações para Labuan Bajo em Flores, mas eles não são regularizados.

Parque Nacional de Komodo

Para muitos viajantes, o encontro com os ameaçadores dragões de Komodo é parte essencial do mochilão na Indonésia.

Os dragões são rápidos, pode saltar de grandes alturas, são nadadores  e não são raros os relatos de ataques a pessoas. Por isso é melhor procurar um guia que irá mostrar os principais pontos da região e de uma forma segura.

encontro com os ameaçadores dragões de Komodo é parte essencial do mochilão na Indonésia.

O parque nacional é composto por três ilhas a oeste da principal ilha das Flores e é o lar de uma abundância de vida animal.

Bem como os famosos dragões a área é o lar de cavalos selvagens, javalis, veados, búfalos de água, macacos e algumas cobras muito perigosas. As águas tropicais são habitadas por baleias, golfinhos e várias outras formas de vida marinha.

A cidade de Labuan Bajo é provavelmente a melhor aposta como base fixa e de onde pode chegar facilmente as ilhas que compõem o Parque Nacional de Komodo.

Ende

Ende é a maior cidade de Flores. Nas proximidades existem várias cavernas, piscinas de água quente e lagos muitos dos quais mantêm antigos mitos e crenças.

Já imaginou apreciar a beleza do Monte Kelimutu.

O destaque de uma visita a essas partes é o Monte Kelimutu e as lagoas que mudam regularmente de cor. Ninguém sabe ao certo por que este fenômeno natural acontece, mas é provável que tenha algo a ver com atividade vulcânica.

Esperamos muito que você tenha gostado de nosso conteúdo, e que se isso for um fato, compartilhe com seus amigos. Até a próxima…