O ano começou e promete muitas novidades, e as pessoas mais antenadas vão aproveitar ao máximo todas as surpresas que estão por vir. E para você que curte viajar e vivenciar novas experiências esportivas, fique ligado nas praticas de esportes radicais no Brasil em 2017 que são tendências e pode se tornar sua próxima paixão.

Já falamos aqui que o nosso país possui uma variada lista de esportes radicais para serem praticados em diversas localidades, para todos os gostos e níveis de coragem e adrenalina.

Há muitos lugares incríveis para praticar esportes radicais no Brasil
Há muitos lugares incríveis para praticar esportes radicais no Brasil

Mas o ano de 2017 surge com muitas novidades sobre esse assunto e não poderíamos ficar de fora, pois há muitos lugares para praticar esportes radicais no Brasil e as tendências mundiais se adaptam facilmente a nossa realidade.

Porque praticar esportes radicais no Brasil em 2017?

Estamos vivendo um momento em que viajar para fora do país está cada vez mais caro, mas isso não pode ser um impedimento para os amantes de esportes de aventura.

Com cenários paradisíacos, profissionais super-renomados e equipamentos de última geração está cada vez mais fácil e prazeroso praticar esportes radicais no Brasil.

Mas o que induz alguém a praticar esportes radicais é a fuga da rotina e do estresse de uma cidade grande, a busca por superar limites e com isso sendo levado ao autoconhecimento.

Deixamos esse vídeo incrível mais abaixo para você dar uma olhada e já ir entrando no clima. Se segura, porque a adrenalina vai correr no seu sangue:

Onde praticar esportes radicais no Brasil em 2017

Praticamente em todos os estados são possíveis de usufruir a prática de esportes radicais no Brasil em 2017, por isso resolvi listar por esportes e contar para você quais são os lugares que podem ser praticados. Fique ligado nas dicas para você que já é um praticante ou caso esteja buscando uma nova aventura.

1- Bouldering

Bouldering é uma forma de escalada que é realizada sem o uso de cordas ou arreios. Embora possa ser feito sem qualquer tipo de equipamento, a maioria dos escaladores usam sapatos de escalada para ajudar a proteger pontos de apoio e giz para manter as mãos secas.

Ao contrário da escalada livre, que também é realizada sem cordas, nesse esporte de aventura os desafios são feitos em blocos que tenham entre seis e dez metros de altura.

Bouldering exige força e muita concentração.
Bouldering exige força e muita concentração.

Há a possibilidade de ser feito em paredes de escalada em ambientes fechados, mas os praticantes costumam usar as arquiteturas urbanas como ambiente de prática ou as variações naturais do relevo.

Prédios, torres, pontes, montes e rochas são os espaços mais utilizados na prática desse esporte, que se originou como um método de treinamento para montanhismo.

Bouldering permitia aos escaladores praticar movimentos específicos a uma distância segura do chão. Além disso, o esporte serviu para construir resistência e aumentar a força dos dedos.

Onde praticar: No Brasil essa prática ainda causa muito alvoroço quando realizada nos centros urbanos. Se você busca tranquilidade, os melhores lugares para praticar esse esporte são Cocalzinho – GO, São Tomé Das Letras – MG, Conceição do Mato Dentro – MG, Ubatuba – SP, São Bento do Sapucaí – SP e Reserva Florestal do Grajaú – RJ.

2- Cliff jump

Com o calor que faz na grande maioria das regiões no Brasil, esse pode ser um esporte radical com bastante adrenalina e muito frescor. A definição mais simples para cliff jump é mergulhar na água saltando de um penhasco muito elevado e íngreme.

Este é um esporte arriscado que só deve ser feito por pessoas que foram treinadas para subir de alturas extremas e pousar com segurança na água abaixo. Hoje, existem competições de cliff jump realizadas em todo o mundo, como México, Grécia e aqui no Brasil.

Cliff jump é um salto de aventura que sempre acaba refrescante.
Cliff jump é um salto de aventura que sempre acaba refrescante.

A história desse esporte vem das ilhas havaianas. Reza a lenda que o rei de Maui -Kahekili II – forçava seus guerreiros a saltar de um precipício e mergulhar na água. Era uma maneira de mostrar ao rei que eles eram destemidos, leais e ousados.

Hoje se destaca aqueles que conseguem saltar de lugares cada vez mais extremos e que consegue entrar na água causando o mínimo possível de respingo.

Onde praticar: Não basta só ter altura e água abaixo, um local apropriado para a prática desse esporte precisa ter uma profundidade adequada, verificar se não há pedras próximas ao local de mergulho e deve ser avaliado por um especialista.

Hoje no Brasil há praticantes realizando os saltos na praia de Icaraí em Niteroí – RJ, na Cachoeira Lagoa Azul em Pirenópolis – GO e no Poço do Diabo, Chapada Diamantina – BA.

Antes que você veja o próximo tópico do nosso conteúdo, confira outros artigos bem interessantes do nosso blog:

1 – 5 Esportes radicais para crianças

2 – Esportes radicais urbanos: conheça quais são os melhores

3 – Saiba tudo sobre o arvorismo esportivo

3- Highline

Considerado desafiador e um dos esportes mais perigosos, o Highline tem como principio o slackline, mas acopla a essa modalidade esportes que por se só já são radicais como escalada, montanhismo ou base jumping.

Consiste em equilibrar-se em uma fita ancorada a mais de 10 metros de altura e pode ser feito entre formações rochosas, canyons, prédios, balões suspensos e qualquer extremidade que dê formato para uma travessia.

Highline é literalmente andar na corda bamba.
Highline é literalmente andar na corda bamba.

A segurança para prática do Highline é extremamente rigorosa e por isso exige bastante experiência do praticante. A montagem dos equipamentos deve ser feita com muita atenção, pois nesse esporte qualquer queda pode ocasionar graves ferimentos ou até mesmo a morte.

Onde praticar: Entre prédios, pontes, viadutos, qualquer ponto elevando é um espaço para prática de highline, mas os praticantes desse esporte gostam muito de contato com a natureza.

Regiões próximas ao litoral são adequadas para a prática, pois possui um relevo mais acidentado, o que coloca o Brasil como um reduto para prática desse esporte.

Destaque para localidades como Ilha do Boi em Vitória – ES, Parque da Jaqueira em Recife – PE, Pedra da Gávea no Rio de Janeiro – RJ ou em Pedra dos 5 Pontões, entre Laranja da Terra e Itaguaçu – ES.

4- BASE jumping

BASE jumping é sem dúvida um dos esportes radicais no Brasil em 2017 mais extremo, que usa um paraquedas para saltar de uma posição fixa, sendo quatro as categorias de pontos fixos para o salto:

Building – Prédio

Antenna – uma torre desabitada como um mastro alto

Span – uma ponte, arco ou cúpula

Earth – uma falésia ou outra formação natural

– daí o nome.

Base jumping é praticado em grandes centros urbanos.
Base jumping é praticado em grandes centros urbanos.

Para o salto, os paraquedas são projetados para abrir mais rapidamente em alturas mais baixas do que os paraquedas normais. Não há reserva de paraquedas, pois não há tempo para usá-lo. Uma queda livre de 150 m leva apenas 5.6 segundos.

O salto de pico e penhasco mais alto já registrado foi de 6000 metros de altura, o que torna esse esporte com possibilidades diversas em percurso e adrenalina.

Onde praticar: As localidades consideradas principais para a prática desses esportes radicais no Brasil em 2017 são a Cachoeira do Tabuleiro – MG, Viaduto 13 – RS, Pedra da Gávea – RJ e Pedra da Onça – ES.