Ser nômade digital vem se tornando o sonho de um número cada vez maior de pessoas que possuem uma mente empreendedora. Trabalhar como nômade digital é a oportunidade ideal para todos aqueles que desejam não se prender a um estilo apenas. E essa ideia se justifica pelo fato de que tudo evolui. Estamos em constante mutação. E isso é ótimo.

Os ventos da mudança trazem oportunidades infinitas para todos que as buscam. E fazer parte desse seleto grupo não é algo tão simples. Aceitar as nossas modalidades é abraçar o futuro, mas também é aprender a se adaptar. Ou, em muitos casos, ser considerado um louco pelas pessoas que ama. Mas isso tudo deve ser deixado de lado quando se deseja avançar.

A oportunidade de se libertar das amarras que nos prendem a tanto tempo é tentadora, mas é preciso considerar algumas coisas. Enquanto, por um lado, a liberdade atrai para os novos caminhos, é preciso manter os pés no chão. Como qualquer trabalho que se assume, este também precisa ser avaliado com calma. Precisa saber se ele se encaixa em sua vida.

Ou melhor, se sua vida se encaixa a ele. Afinal, entrar em um ramo para ficar se sentindo mal, não é algo que vale à pena. Enquanto para algumas pessoas, ficar preso em uma mesa de escritório é desesperador, para outras, essa característica é confortável. O mesmo vale para o grupo social em que você convive e o ambiente familiar. O lar, os lugares que frequenta, etc.

Profissões para nômades digitais existem em boa quantidade, então esse não será um problema. Existem nômades digitais brasileiros bem-sucedidos. Sendo assim, o que será que pode ser tão desafiador? Escolhemos o tema de hoje a fim de trazer uma boa explanação dos contras, visto que os benefícios são indiscutíveis.

1 – Ser nômade digital pode gerar desconforto interno

Ser nômade digital traz uma liberdade inigualável, perder um pouco o foco pode ser natural. Vamos imaginar a situação de uma pessoa que já está estabelecida como um nômade digital. Essa pessoa já encontrou o trabalho ideal entre as profissões para nômades digitais e tem uma fonte de renda satisfatória para o seu estilo de vida. O que pode estar errado?

Ser nômade digital 1
Ser nômade digital traz uma liberdade inigualável, perder um pouco o foco pode ser natural.

A familiaridade com as situações da vida nos gera conforto e bem-estar. Para entender essa afirmação, basta notar como se sente quando precisa realizar alguma atividade em um novo local. Por exemplo, você sempre faz depósitos financeiros no seu banco. Um dia, sua empresa necessita que o depósito seja realizado em um banco no qual você não conhece.

Apenas isso pode gerar um turbilhão de emoções desconfortáveis para algumas pessoas. A insegurança em errar o depósito, não saber operar a máquina com confiança, entre outras situações que possam ser imaginadas. Agora imagine que pessoas assim precisassem realizar atividades do dia a dia em locais diferentes. Com pessoas que não são familiares.

E é aí que surge o desconforto interno. Aquela sensação de que não importa o que faça, sempre vai ficar essa vontade de deitar no sofá de casa para assistir TV. E estamos falando na diferença em mudar de cidade, de estado. Agora, quando a mudança é de país, é possível que esse desconforto interno seja potencializado. Sobretudo pela cultura diferente.

É preciso saber em que grupo de pessoas você se encaixa. Se esse tipo de conforto é fundamental para você, talvez seja preciso encontrar maneiras de driblar esse sentimento. O lado bom é que muitas pessoas, mesmo se sentindo assim, conseguem viver muito bem.

Aliás, como ser nômade digital sem ter facilidade para se adaptar?

2 – Ser nômade digital é viver em um fluxo constante

Estar estabelecido, além de gerar conforto interno, é viver em um local apenas. Você tem um endereço fixo, por mais que você se mude de casa. De um endereço, você passa a viver em outro. Será necessário apenas trocar o endereço nos locais necessários, como banco, empresas de energia e água, entre outros. Ser nômade digital é dizer adeus a isso também.

As profissões para nômades digitais oferecem a oportunidade de viver em diversos locais. Tudo o que o empreendedor digital precisa é um notebook e um acesso à internet. Assim sendo, ele pode estar em praticamente todos os locais do mundo, afinal, o alcance da internet é vasto. No entanto, isso pode ser um grande problema.

Vamos apenas imaginar a situação…

Seguindo o exemplo citado acima, qual endereço daria para receber suas coisas? Você pode informar o atual, é verdade. Mas em muitas plataformas de compras online, é preciso confirmar o endereço e, ficar alterando constantemente, faz com que se perca a credibilidade. As empresas ainda estão se adaptando a essa modalidade de trabalho. Muito precisa se fazer.

E claro que esse é apenas um exemplo. Mas o mesmo vale para tudo. Sempre é possível deixar o endereço de alguém de confiança para as entregas de contas e compras. Quanto às contas, é possível solicitar que a pessoa realize os pagamentos e será necessário apenas um depósito no valor. Mas quando o assunto são compras, por exemplo, as coisas complicam.

A pessoa pode enviar o produto para o seu endereço atual, mas isso vai gerar mais gastos. Então é preciso encontrar maneiras de fazer com que as coisas aconteçam com maior dinamismo. E certamente essa reclamação é comum a muitos nômades digitais. É possível resolver, é claro. Entretanto, vai ter que pensar um pouco a respeito para encontrar a solução.

3 – Ser nômade digital é aprender a desapegar

Não apenas os nômades digitais brasileiros relatam situações de desapego, como pessoas no mundo todo. Ser nômade digital fala justamente sobre a ideia de viver no fluxo, é preciso saber dizer adeus. E não estamos falando apenas de pessoas. Estamos falando de tudo aquilo que você conseguiu conquistar durante a estadia. Ser nômade digital é não se apegar.

Um nômade digital precisa compreender, quanto mais cedo, melhor, que ele é o seu maior patrimônio. Ser brutalmente desapegado não é algo tão simples assim. Para exemplificar as situações para quem busca profissões para nômades digitais, vamos a mais uma situação comum às pessoas nas suas rotinas

Imagine que você realizou uma viagem de férias, e nesse local, você teve diversas experiências. Conheceu pessoas novas, experimentou pratos maravilhosos, visitou locais paradisíacos. Como todas as pessoas, o bem-estar fica nas alturas. Esse lugar é tudo o que você precisava e busca. Mas os dias de férias se acabam, e você precisa ir embora. É bastante comum ouvirmos falar sobre a depressão pós viagem.

Ser nômade digital 3
Ser nômade digital é não se apegar.

Isso pode acontecer nas suas viagens realizadas uma ou duas vezes no ano, durante as férias. E a sensação de vazio é devastadora. Agora imagine viver isso constantemente. Enquanto para algumas pessoas, isso é gratificante, para outras, isso é um abismo. Sem contar que aqueles móveis que comprou com carinho, talvez também tenham que ficar para trás. Os amigos que fez, um possível amor, os locais preferidos, os momentos vividos. Você consegue?

Assim sendo, é preciso saber desapegar. Não se pode permitir que essas situações gerem uma depressão ou um desconforto emocional. É preciso saber carregar apenas as coisas boas e necessárias. É preciso ter a convicção que o mais importante, de tudo, é você. O foco do nômade digital, deve ser a experiência. Mas é possível se estabelecer.

4 – Ser nômade digital é aprender a conviver com a imprevisibilidade

Você possui uma rotina, correto? Todos os dias, você realiza as suas tarefas de maneira a fazer com que as mesmas caibam dentro das horas do seu dia. E isso torna a rotina previsível, ainda que algumas situações imprevistas aconteçam. E mesmo quando o imprevisto acontece, você pode utilizar a familiaridade com as coisas ao redor, para solucionar as situações.

Ser nômade digital é dizer adeus a isso também. Você nunca vai ter um cotidiano tranquilo no sentido de acomodação. E quando conseguir estabelecer uma rotina, é provável que seja o momento de se despedir novamente. Dessa maneira, é fundamental saber encarar as situações da vida. É preciso ter jogo de cintura para não se deixar abater diante das coisas.

Isso acontece com todos. É algo já natural a todos os nômades digitais brasileiros e do mundo. Para você, seria algo tranquilo? Você consegue tomar decisões rápidas diante dos diferentes obstáculos? É de suma importância considerar esse quesito. Imagine, por exemplo, algo que é bastante comum a todos: a confiança em determinado profissional. Um médico, por exemplo.

Todo probleminha de saúde que você tem, recorre a esse profissional. Você se sente seguro e sempre leva a sério as opiniões profissionais. Se optar por ser nômade digital, vai ter que dizer adeus a esse conforto também. Você terá que se entender com os mais diversos profissionais, sempre que seus serviços se façam necessários. E claro que isso vale para todas os ramos.

Sempre confiamos em um chef, um cabeleireiro, um vendedor. Aprender como ser nômade digital é aprender a desapegar disso também. Então antes de arrumar as malas e partir para conquistar novos horizontes, é preciso saber se consegue viver bem sem essa característica.

Se achar que sim, ótimo. Se achar que não, saiba que é possível contornar isso também.

5 – Ser nômade digital é aprender a conviver com olhares desconfiados

Se com os empreendedores digitais isso já acontece, imagine com um que não vive em um local fixo. Essa situação também pode se repetir em empresas, bancos ou quaisquer outros locais que exista a necessidade de comprovar renda, por exemplo. Como ser nômade é algo que não garante um salário fixo, se torna uma árdua tarefa passar por esse tipo de situação.

Em todo momento, você vai ter que responder perguntas das mais incríveis naturezas. As pessoas comumente não conseguem assimilar a ideia de não residir em um local apenas. A resposta mais comum entre os nômades digitais brasileiros e do mundo é: o mundo é minha casa. Bem, essa é uma resposta bastante poética e verdadeira, má de difícil compreensão para alguns.

Uma reclamação bastante comum, é o que parte da família e amigos próximos. Mas, de certa maneira, é compreensível. As pessoas criam suas teias de relacionamento e se apegam a elas. É natural, entre outros casos, uma mãe que não queira que seu filho se afaste demais. Ou um amigo que não queira que a amizade sofra nenhum tipo de afastamento. É natural.

Sendo assim, é preciso ter muita paciência para explicar para as pessoas que os sentimentos não sofrem influência de tempo e espaço. É tão possível amar alguém que já partiu há muito, quanto amar alguém que está a quilômetros de distância. Isso tudo é relativo. O maior problema é que as pessoas são apegadas. Elas necessitam da presença dos que amam.

E então começam os olhares de desconfiança e julgamento. E claro que as pessoas que vivem no local para onde vai, também vão ter esse sentimento de confiança. Tal qual um índio dos filmes de faroeste tem de um forasteiro. Talvez essa seja a melhor designação possível: você é um forasteiro onde quer que chegue.

Conclusão

Ganhar dinheiro enquanto viaja pelo mundo é algo perfeitamente possível. Por exemplo, nesse ebook do Fagner Borges, criador do movimento Freesider, “Como ganhar dinheiro enquanto viaja pelo mundo”, você vai encontrar dicas incríveis para tal. E o melhor de tudo, é que você pode baixá-lo gratuitamente. Confira e veja como adaptar as dicas à sua realidade.

No mais, a sua visão de mundo vai sofrer uma drástica transformação. Desde realidades duras como acontece em algumas culturas, como perceber que alguém que conhece uma vida inteira, é alguém extremamente apegado ao material. Sendo assim, antes de procurar profissões para nômades digitais, tenha todo esse artigo em mente.

E, por fim, nunca deixe de pensar que seu escritório, em cada período, poderá ser um local diferente. Ora uma praia deserta, ora um centro urbano frenético. Você pode moldar seus locais de morada de acordo com seu estado emocional. Essa é a chance de dizer adeus ao estresse de se viver enclausurado como um pássaro na gaiola, enriquecendo outras pessoas.

Transforme sua vida, seu tempo. Afinal, tudo o que vai levar dessa vida, são suas experiências. Foque em ter as melhores possíveis.

!!Dica EXTRA: Já te contei sobre o Caio Ferreira?

Ele conseguiu criar um método de você ter um e-commerce mesmo sem ter estoque em 2009. Hoje, além de vender centenas de milhares de reais na sua loja virtual, ele ainda ensina como outras pessoas podem fazer isso.

O Caio está com uma aula online gratuita que ensina "Como Criar Sua Loja Online do ZERO Sem Precisar Ter Estoque de Mercadorias". Espero que ele não tire do ar antes de você assistir.